Aubameyang explica comemoração como Pantera Negra: “me representa”

Comentários()
Getty/Marvel/Goal composite
O atacante já comemorou gols como Batman e Homem-Aranha, mas se encontrou de vez como o protetor de Wakanda

Pierre-Emerick Aubameyang foi a grande estrela na vitória por 3 a 0 do Arsenal sobre o Rennes, que garantiu os londrinos nas quartas de final da Europa League mesmo após um revés por 3 a 1 no jogo de ida. O gabonês fez dois gols e ainda contribuiu com assistência. Além de ter aparecido pela qualidade dentro de campo, o atacante também foi noticia por ter vestido uma máscara do Pantera Negra em uma comemoração.

Não chega a ser novidade dentro do histórico de Aubameyang. Durante as suas quatro temporadas e meio a serviço do Borussia Dortmund, o gabonês demonstrou o seu apreço por super-heróis mascarados: comemorou como Homem-Aranha e, ao lado de Marco Reus, reeditou a dupla Batman & Robin.

Pierre-Emerick Aubameyang Marco Reus Borussia Dortmund Batman MaskPierre-Emerick Aubameyang Dortmund Bayern Munich German Supercup 2014

Entretanto, desta vez parece que Aubameyang se identificou permanentemente com o Pantera Negra. Criado por Stan Lee, a mente criativa por trás da Marvel Comics, o herói é o defensor da nação escondida de Wakanda, um oásis de tecnologia e força protegida no coração da África.

Gabonês, após o jogo Aubameyang explicou os motivos pelos quais passou a usar a máscara do herói: “Eu precisava uma máscara que me representasse. É o Pantera Negra, e na África, no Gabão nós chamamos a seleção de Panteras Negras do Gabão. Isso me representa”, afirmou após o jogo. “Torcedores do Arsenal, Wakanda Forever, vocês já sabem”.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Wakanda Forever! @aubameyang97

Uma publicação compartilhada por Ian Wright (@wrightyofficial) em

Nas redes sociais, o Arsenal colocou a foto de Aubameyang como Pantera Negra na capa de sua página oficial de Twitter. Além disso, através do Instagram, o ex-atacante Ian Wright, ídolo dos Gunners, homenageou o camisa 14, exaltando o “Wakanda Forever”. E se nos quadrinhos e cinema, um Pantera Negra é sucedido por outro, a esperança dos torcedores londrinos é que o jogador gabonês faça tanto quanto fez Ian Wright dentro dos gramados.

Fechar