Jô, a esperança do Corinthians e um mata-mata como zebra no Paulistão

Comentários()
Após lesão de Boselli, Jô está liberado para jogar a fase final Paulistão e é a esperança para o Timão buscar o tetracampeonato estadual

Contrariando as expectativas, o Corinthians conseguiu se classificar para as quartas de final do Campeonato Paulista. Agora, na fase de mata-mata, mesmo com o desempenho ainda abaixo do esperado, o clube conta com a estreia de Jô para tentar reencontrar o bom futebol. Além disso, o peso da camisa e o bom retrospecto em clássicos jogam a favor do Timão, que tenta levar o tetracampeonato da competição.

Quer ver jogos ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN por um mês grátis!

Após o retorno do Paulistão, o Corinthians até apresentou alguma evolução em campo, mas muito pontual, no primeiro tempo contra o Palmeiras e em alguns momentos da segunda etapa contra o Oeste. No restante das duas partidas, o que se viu foi um Corinthians parecido com o que brigava para não ser rebaixado no estadual, principalmente nos primeiros 45 minutos da partida deste domingo (26). 

O meio campo encontrou muitas dificuldades para fazer a bola chegar no ataque, apelando muitas vezes para a ligação direta, Boselli seguiu pouco participativo e sem muita mobilidade e Luan sofreu mais uma vez de seus “apagões” em alguns momentos.

Goal 50 Revelado: Os 50 Melhores Jogadores do Mundo

Agora, Jô está liberado para estrear e, com a lesão de Boselli, sua titularidade será mais necessária do que nunca. E as características do centroavante podem fazer muito bem à equipe.

Tendo começado sua carreira jogando como ponta em muitos momentos, Jô tem muito mais mobilidade do que o atacante argentino, participa mais do jogo e é mais veloz, o que pode ajudar muito seus companheiros, principalmente Luan. 

Além disso, uma das armas do camisa 77 é o jogo aéreo, seja nos lances de bola parada ou na construção das jogadas. Se o time de Tiago Nunes seguir precisando da ligação direta, as “casquinhas” de Jô podem fazer muita diferença para a bola parar mais no ataque. 

Por outro lado, o atacante de 33 anos não joga desde dezembro do ano passado e não balança as redes desde setembro. Pelo Nagoya Grampus, do Japão, marcou apenas oito gols no ano de 2019.

Retrospecto em clássicos e tetracampeonato estadual

Cássio Corinthians Palmeiras Paulista 22 07 2020 Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Após se classificar com a ajuda do São Paulo, o Corinthians conta com seu ótimo retrospecto recente em clássicos contra os rivais paulistas. 

No entanto, antes de contar com isso, terá que passar pelo Red Bull Bragantino, time com a melhor campanha geral da primeira fase do Paulistão

Tiago Nunes, treinador alvinegro, colocou seu time como ‘franco atirador’ contra o rival ‘favorito’, nas quartas de final.

"Corinthians sempre foi forte, tem que ser respeitado. A gente sabe que em nenhum momento fomos colocados como postulantes ao título, ainda mais depois das primeiras rodadas. A gente entra como estamos nesse momento, franco atiradores pelo que temos à frente. O favoritismo é do Red Bull".

Mais artigos abaixo

Além de Jô, que tenta acabar com a má fase do time dentro de campo, o peso da camisa é a outra esperança do Timão, que busca seu quarto título seguido do Paulistão, feito que só aconteceu uma vez na história, com o Paulistano, entre 1916 e 1919. 

Da última vez que foi considerado como zebra ou “quarta força” do estadual, o Alvinegro terminou campeão. Resta esperar para ver se a história pode se repetir.

Fechar