Torcida contra, Grafite, quase rebaixamento rival: quando o São Paulo salvou o Corinthians em 2004

A última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista tem um atrativo para a rivalidade entre São Paulo e Corinthians que, se não pode levar a desdobramentos trágicos como um possível rebaixamento em situação parecida em 2004, remete àquele domingo de 16 anos atrás.

Quer ver jogos ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN por um mês grátis!

Para se classificar à segunda fase do Estadual neste final de semana, o Corinthians, 14 pontos no Grupo D, precisa vencer o Oeste na Arena Barueri e ainda superar na tabela o Guarani, 16. O time de Campinas enfrenta no mesmo horário o São Paulo, na Vila Belmiro.

Ou seja: com dois pontos atrás, o time de Tiago Nunes depende da colaboração são-paulina. Se o São Paulo vencer a equipe de Campinas, abre caminho para a classificação do grande rival; se ao menos empatar, permite uma disputa no saldo de gols; se perder, não há nada que o Corinthians possa fazer na partida simultânea.

2004

Há 16 anos, o cenário era muito mais dramático. O Corinthians chegou à última rodada no penúltimo lugar com 8 pontos, enquanto o Juventus, lanterna, tinha 6. Só uma equipe da chave seria rebaixada para a Série A-2 do ano seguinte.

Em São Caetano, o Juventus enfrentava o líder São Paulo, invicto e sobrando na disputa. No Pacaembu, o Corinthians recebia a Portuguesa Santista, que ocupava as primeiras posições.

O clima do pré-jogo para a torcida do São Paulo era de contradição. Alguns presentes no Anacleto Campanella admitiam que era dia de torcer por uma derrota que poderia rebaixar o Corinthians. Ainda que alguns rejeitassem a ideia absurda e falassem que era impossível comemorar um revés do próprio time, faixas de apoio ao Juventus feitas por são-paulinos transitavam pela arquibancada. 

Grafite

O São Paulo era muito mais time, claro, e criou várias chances no primeiro tempo até abrir vantagem com dois gols de cabeça de Grafite. No segundo tempo, o Juventus descontou. Pior: no jogo da capital, a Portuguesa Santista fazia 1 a 0 contra o Corinthians.

Então, no fim do jogo, o estádio cantava "Juventus!, Juventus!". Uma virada da equipe grená rebaixaria o Corinthians, e o time até marcou mais um, anulado por impedimento.

Mas o São Paulo seguiu controlando o jogo, manteve a vitória por 2 a 1 apesar da torcida contrária e seguiu para a fase final. O Corinthians, derrotado no Pacaembu, escapou por conta da vitória são-paulina.

"No intervalo ainda brincaram com a gente que iam fazer um busto no Parque São Jorge. Eu falei que não, não quero busto no Parque São Jorge, quero no Morumbi", disse Grafite na saída de campo. Pelos gols, o ex-atacante é lembrado sempre que situações do tipo acontecem, quando derrotas podem ser úteis para a dor rival.

O técnico Cuca, ao fim do jogo, jogou um tempero: "Fica aí uma dívida do Corinthians com o São Paulo, quem sabe um dia ele possa pagar". Irônico, o goleiro Rogério Ceni desconversou: "Os últimos jogos contra o Corinthians foram bons, três jogos e três vitórias nossas. Bom que eles ficam na primeira divisão, ano que vem tem mais".

Por conta dos gols, boa parte da torcida são-paulina pegou no pé de Grafite, marcado por dar uma alegria aos corintianos. A situação ficou um pouco mais tranquila com as boas atuações do atacante na sequência da temporada, principalmente os dois gols na vitória contra o Rosário Central pelas oitavas de final da Libertadores, um mês e meio depois.

Grafite São Paulo Rosario Libertadores 2004
Rubens Chiri/saopaulofc.net

Matemática atual

Neste domingo, na última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista, o Corinthians tem dois cenários possíveis para se classificar:

- Vencendo o Oeste, vai aos 17 pontos e se classifica se o São Paulo ganhar do Guarani, que seguiria com 16.

Mais artigos abaixo

- Vencendo o Oeste, vai aos 17 pontos, e dependeria do saldo de gols caso São Paulo e Guarani empatem, já que o Guarani também chegaria aos 17 e ambos empatariam em vitórias, 4. No momento, o Guarani tem saldo de 4, com 15 gols marcados; o Corinthians tem saldo de 3, com 13 gols marcados. Então seria necessária uma vitória por dois gols de diferença para o Corinthians alcançar um saldo de 5.

Independentemente de quem avançar nesta disputa, o rival das quartas de final será o Bragantino, que com 20 pontos já é o líder da chave e não pode mais ser alcançado.