Palmeiras entra na reta final para alcançar feito inédito desde a adoção dos pontos corridos

Comentários()
Semifinalista na Libertadores e líder do Brasileirão, o Alviverde tem motivos para acreditar que pode fazer história

Header Tauan Ambrosio

O Palmeiras inicia uma batalha para protagonizar um feito inédito no futebol desde adoção do Brasileirão de pontos corridos, em 2003. Após assumir a liderança duas rodadas atrás e ter batido o São Paulo para abrir uma vantagem de três pontos em relação ao segundo colocado, o desafio deste domingo (14), contra o Grêmio, será mais uma prova de fogo contra um concorrente direto em uma saga que abrange a parte técnica e também organizacional nesta reta final de temporada.

Afinal de contas, com um calendário inchado de jogos e com decisões até dezembro o Verdão sonha em ser, em um mesmo ano, o máximo campeão brasileiro e das Américas. Evidente que a tarefa, inalcançada desde o Santos de Pelé em 1962 e 1963, ficou ainda mais complicada depois que a Conmebol abriu, em 2017, mais vagas para o torneio e estendeu a sua realização até o final do ano. Mas, acredite, o time comandado por Felipão tem motivos para sonhar.

A última vez que um clube conquistou em uma única temporada dois campeonatos de primeira grandeza no Brasil foi o Cruzeiro de 2003 (que garantiu a Tríplice Coroa com as taças do estadual, brasileiro e Copa do Brasil), que disputou 71 jogos naquele ano. Até o final do Brasileirão, o Palmeiras de 2018 já terá ultrapassado a marca dos 74 – e chegará a 76 caso dispute a decisão da Libertadores. Para combater o desgaste de um calendário exaustivo, a escolha de Felipão por escalar equipes com bases diferentes dependendo do torneio tem feito a diferença. Algo que seria impossível sem o investimento da Crefisa.

O Palmeiras é dono do elenco mais valioso do futebol brasileiro (avaliado em € 76.9 milhões), segundo dados do site Transfermarkt.  E se dizem, na sabedoria popular, que dinheiro não traz felicidade, tal sentença encontra no futebol uma exceção. Afinal de contas o poder aquisitivo faz a diferença na hora de contratar jogadores e profissionais mais qualificados. Isso ajuda a explicar um pouco como o Verdão se encontra em momento tão positivo no final da temporada, tendo a chance de fazer algo praticamente inédito entre clubes brasileiros.

Felipao Scolari Palmeiras Bahia Copa do Brasil 16082018(Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

Isso porque o Santos campeão da Libertadores e Taça Brasil em 1962 e 1963 levou apenas 22 jogos para conquistar este total de quatro troféus – o que não diminui em nada o feito do Peixe, realizado em contexto diferente. De qualquer forma, ser campeão brasileiro e da Libertadores ao mesmo tempo é um evento raríssimo. Disso não há dúvidas. Na campanha do título brasileiro em 2016, por exemplo, o Palmeiras na época comandado por Cuca não tinha a preocupação do certame continental. É mais um dado que depõe a favor do bom trabalho realizado por Felipão neste seu retorno em 2018.

Igualar a marca histórica do Santos de Pelé ainda pode ser algo que talvez habite apenas o pensamento dos torcedores mais otimistas, mas além de ter a melhor defesa (4 tentos sofridos) e maior taxa de conversão em gols por finalização (21%) dentre os semifinalistas da Libertadores, o Palmeiras de Felipão faz no Brasileirão a melhor campanha do returno e não lhe faltam boas opções nos próximos duelos que estão pela frente. O sonho pode virar realidade, e o melhor de tudo é que ao ter uma base de titulares diferentes dificilmente os comandados de Scolari irão sentir o desgaste.

Próximo artigo:
O valor de Lionel Messi: quanto ganha e qual o patrimônio do argentino
Próximo artigo:
Quantos gols Cristiano Ronaldo tem na carreira?
Próximo artigo:
Inter e Real na lista: confira em quais jogos Messi vai desfalcar o Barcelona
Próximo artigo:
Campeonato Brasileiro 2018: tabela completa e classificação por rodada
Próximo artigo:
Rafinha nega magoa com Inter e revela: “pensei que seria contrato”
Fechar