Ex-diretor do Cruzeiro ironiza Robinho e celebra acesso do clube

Ocimar Bolicenho ex diretor de futebol do CruzeiroDivulgação/Cruzeiro

Diretor de futebol do Cruzeiro em 2020, Ocimar Bolicenho parabenizou o clube no retorno à elite do futebol nacional e rebateu Robinho, com quem teve um problema em fevereiro de 2020.

O executivo divulgou uma carta nesta quinta-feira (22), dia seguinte à vitória cruzeirense sobre o Vasco, e aproveitou para alfinetar o ex-jogador cruzeirense, que defendeu o clube entre 2016 e 2020 e hoje pertence ao Coritiba.

"Parabenizo na pessoa do meu colega de profissão Pedro Martins (diretor de futebol) todos os componentes da atual gestão do Clube que implementaram processos de recuperação sem levar em conta os "anseios" das redes sociais e os apelos da emoção. Simplesmente agiram com a razão. Sendo assim minha tese baseada na experiência foi mais assertiva que a do atleta Robinho. "Para competir na Série B é necessário montar um elenco compatível com o nível de dificuldade da divisão de acesso". Essa é a ideia que defendo sempre", afirmou.

Ocimar Bolicenho havia defendido a ideia de montar um elenco compatível com a segunda divisão em entrevista ao programa Bem, Amigos. No entanto, à época, Robinho o criticou: "Vi essa entrevista do Ocimar e confesso que não gostei. Acho que um clube como o Cruzeiro, por mais que tenha realidade de Série B, tem que entender que nosso time é de alto nível. Não adianta falar: ‘precisamos de time de Série B’. Você vai contratar quem? Qual jogador que pode jogar a Série B e não pode na Série A? É difícil".

"Escutei e fiquei bem chateado. Guardei para mim algumas situações. A gente tem que montar time forte, independentemente da competição que vamos disputar. Vi ele (Ocimar) falando que o time precisava ser forte, mas nem com tanta qualidade. É difícil. Se não tiver qualidade, como vai ganhar o jogo?", completou.

Robinho CruzeiroWashington Alves/Cruzeiro

Hoje, mais de dois anos após a declaração de Robinho, o ex-diretor cruzeirense crê que teve a sua tese confirmada.

"Aquele momento exigia uma grande reformulação. Antes do início da competição nacional deixei o clube, que insistiu na manutenção de elenco de Série A. Foram 4 treinadores, 3 executivos de futebol e um resultado frustrante como décimo primeiro colocado com 49 pontos na Série B 2020. Em 2021, mesma estratégia, 3 treinadores, 3 executivos de futebol e novo resultado frustrante como décimo quarto colocado, com 48 pontos".

Bolicenho cita atletas do atual elenco, como os zagueiros Eduardo Brock, Zé Ivaldo e Oliveira, o volante Machado, o lateral esquerdo Matheus Bidu e os atacantes Stênio, Edu e Jajá para corroborar em sua tese: "É ou não é um time montado e preparado para disputar as dificuldades de uma Série B. Mais força e menos técnica sem com isso perder a qualidade necessária para um bom desempenho".

Para finalizar, o executivo ainda provoca Robinho, que acinou a Justiça do Trabalho ao deixar a Toca da Raposa II: "Tenho orgulho de nunca haver precisado acionar a justiça do trabalho para receber haveres dos clubes em que trabalhei. Hoje, nada tenho mais a ver com o Cruzeiro a não ser minha torcida para que permaneça para sempre na série A. Já Robinho "engorda" o milionário passivo do clube junto a Justiça do Trabalho. Quem estava certo?", indagou o dirigente, que ainda completou: "Sempre haverá oportunidade para aprendermos algo nesta vida. Vamos em frente sempre almejando um futebol brasileiro forte".