Daniel Alves sem ressentimentos com Mancini e elogia Diniz: "vai se criar identidade"

Comentários()
Getty Images
Camisa 10 explica qual influência teve para a chegada do novo treinador do São Paulo

O São Paulo empatou sem gols com o Flamengo na noite deste sábado (28), no Maracanã, e o assunto após o apito final foi a saída de Vagner Mancini e a chegada de Fernando Diniz. Daniel Alves, um dos nomes citados por Mancini em um áudio para ser um das razões por ter deixado o Tricolor, revelou não ter ressentimentos do ex-dirigente.

"Aqui a gente preza sempre pelo bem do São Paulo. Se eu tiver que ficar com alguma coisa do Mancini fico com o grande cara que conheci. Às vezes quando você está em um momento de decepção, 'caliente', você tem que respirar antes de fazer declarações, que não vem ao caso. Penso que está fora de lugar tudo isso. Se eu tivesse esse poder queria ter em casa, mas nem em casa tenho esse poder, imagina no São Paulo. A gente preza pelo bem do São Paulo, pelo crescimento do clube. Não pensamos nunca no individual, no bem para nós. É isso o que vamos prezar, independente do que estejam falando", disse em entrevista na zona mista.

Acompanhe o melhor do futebol ao vivo ou quando quiser: assine o DAZN e ganhe um mês grátis para experimentar

"Não fiquei chateado (...) Mas volto a insistir, vou ficar com o puta cara que conheci, uma relação respeitosa o tempo inteiro, não vou guardar nenhuma mágoa ou rancor. A impressão que me deu era um cara super do bem, cercano comigo. Eu vou ficar com isso das pessoas, independente do que elas digam. Às vezes não pensaram bem no que dizer, mas eu não tenho esse poder. Se tivesse, ia prezar sempre pelo bem do São Paulo", completou.

Daniel Alves explicou ainda como foi a sua participação para a chegada de Fernando Diniz ao São Paulo.

"Não mentor. Minhas mentorias são mais caras, não são tão baratas assim. Mas se está falando muito desinformado das coisas. Nós, como capitães e jogadores mais experientes, quando somos questionados pelo clube damos nossa opinião. Mas evidente que as decisões são tomadas pelo clube. Tentamos sempre pensar no São Paulo, em alguém que implemente algo diferente do que estamos acostumados", afirmou. 

Mais artigos abaixo

"Estamos muitos felizes pela vinda dele para o comando. A equipe está assimilando bem a proposta dele, tenho certeza que vai se criar uma identidade, algo diferente do que o São Paulo está acostumado. Mas essa é a identidade que queremos, o espírito que queremos aqui dentro. Uma das grandes qualidades do Diniz é essa de implementar o espírito que ele quer dentro de um grupo. Por isso estamos aqui, sempre pensando no bem do São Paulo", finalizou. 

O São Paulo volta a campo contra o Fortaleza, no próximo sábado (5), às 17h (de Brasília), pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. 

Fechar