Júnior Dutra diz que não é substituto de Jô; Corinthians segue procurando centroavante

Comentários()
© Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians
Atacante rasgou elogios ao Timão durante sua apresentação e mirou conquistar a Libertadores

Primeiro reforço do Corinthians para 2018 a ser apresentado, o atacante Junior Dutra já fez questão de deixar claro que não será o substituto de Jô, que foi vendido ao Nagoya Grampus, do Japão. Em entrevista nesta quinta-feira (4), no CT Joaquim Grava, o jogador disse que mesmo com os nove gols marcados com a camisa do Avaí no Brasileirão de 2017 atua melhor pelos lados do campo.

“Eu tenho que pensar em fazer meu melhor. Conversei com o Carille que, se ele precisar, já joguei ali. Não foi forçando algo. Mas joguei o Brasileiro pelos lados e ele me conhece jogando ali. Não sou uma referência, como é o Jô, o Kazim. Sou aquele falso 9, tenho altura boa, mas sou mais de movimentação e explorar velocidade. Acho que mudaria a característica do time. Mas cheguei agora e quero estar bem para jogar onde precisar”, explicou.

“Onde joguei sempre fiz gols, mas não fui o 9 referência, era o segundo atacante. No Avaí fiz nove gols jogando pelo lado, aberto. Sou muito objetivo, busco gols, assistências, mas preciso ser sincero. Se precisar, encaro (jogar centralizado). É muito fácil eu falar para você: nunca fui de fazer 30 gols no ano, mas por onde passei fiz gols. Posso ajudar onde o Carille achar melhor”, acrescentou.

Júnior Dutra - Corinthians - 4/01/2017
(Foto: © Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

O Corinthians segue em busca de um novo centroavante, mas ainda não tem nenhuma negociação adiantada. No mercado nacional, Henrique Dourado, do Fluminense, e Leandro Damião, do Internacional, foram nomes citados. O clube também observa nomes no exterior. Vale lembrar que a janela para transferências internacionais abre no dia 10 de janeiro.

Júnior Dutra, que assinou contrato de dois anos com o Timão, ainda rasgou elogios ao clube e já traçou o objetivo de conquistar a Copa Libertadores da América.

“É uma alegria muito grande vestir a camisa do Corinthians, já tinha assinado, mas depois entrei de férias, e agora participar aqui com o grupo e comissão técnica. É um clube gigantesco, senti isso no primeiro dia. Meu objetivo é brigar pela Libertadores, levantar essa taça. No Corinthians tem que brigar por todos os títulos. Eu chego com esse pensamento”, ressaltou.

“Já sabia que era um clube gigantesco, o maior do Brasil, mas a estrutura não conhecia. Eu trabalhei em outros clubes do Brasil e fora, mas o Corinthians é disparado o mais estruturado. Sabemos que muitos clubes do Brasil têm camisa, mas não tem uma estrutura tão forte”, finalizou o jogador de 29 anos.

Fechar