Notícias Placares ao vivo
Fernando Torres

"Iniesta me incentivou a jogar no Japão", diz Fernando Torres

19:38 BRT 16/07/2018
Fernando Torres Sagan Tosu 15072018
Em primeira entrevista após a assinatura de contrato com o Sagan Tosu, o atacante analisa sua chegada ao futebol Ásia

ENTREVISTA EXCLUSIVA


Fernando Torres já viveu grandes momentos no futebol. Considerado uma promessa da Espanha, o atacante já vestiu a camisa de grandes clubes do esporte, entre eles o Chelsea, onde conquistou uma Champions League, em 2011/12, e o Atlético de Madrid, clube no qual criou a maior identificação e virou ídolo. Além de LiverpoolMilan.

Aos 34 anos, no entanto, Fernando Torres resolveu respirar “novos ares”: o jogador deixou o Atleti para jogar no Sagan Tosu, da J-League japonesa. Em entrevista exclusiva à Goal , o atleta campeão da Copa do Mundo de 2010 pela Espanha conta porque tomou a decisão de deixar o Europa. Confira abaixo!

O que o fez decidir jogar no Japão?

“Eu estava procurando por um país onde eu pudesse viver com tranquilidade, poder fazer coisas que eu não poderia fazer na Espanha, sentir que todos não me reconhecem. Claro, há também a experiência de meus filhos poderem conhecer outra cultura.  E, no nível do futebol, eu estava procurando por algo que me levasse a um desafio.

Na Ásia, o Japão sempre foi uma prioridade, pelo nível da liga, que eu considero ser o mais alto da Ásia. E então quando você vê que tem muitas esperanças em você, você é o jogador que pode fazer a diferença. Acho que foi isso que me fez ver que eu tinha todos os componentes que estava procurando. As negociações estavam acontecendo há meses e eles não desanimaram. Eu vi que é um clube que cuida de seus jogadores e eu estou muito feliz”.

ATLÉTICO DE MADRID JOGADORES COM MAIS PARTIDAS E GOLS

Jogador Partidas Jogador Gols
Adelardo Rodríguez 550 Luis Aragonés 172
Tomás Reñones 483 Adrián Escudero 169
Enrique Collar 468 Paco Campos 154
Juan Carlos Aguilera 455 José Gárate 134
Isacio Calleja 421 Fernando Torres 129
Juan Carlos Arteche 421 Joaquín Peiró 124
Gabi Fernández 417 Julio Elícegui 114
Fernando Torres 404 Adelardo Fernández 112

Consultou alguém antes de tomar a decisão?

"A verdade é que todas as referências eram boas, e ficamos surpresos que nunca houve um “porém”. Então, estamos ansiosos para tentar. Em nível pessoal, é um desafio ir a um lugar com uma cultura tão diferente, uma escrita que não entendemos... será difícil entrar sozinho no carro, por exemplo. Mas vai ser divertido”.

Como será o processo de adaptação?

“O clube já nos deu muitas facilidades e muitos conhecimentos para ter uma ideia o mais claro possível do que vamos encontrar lá. Pela minha experiência, sei que até você chegar e ver por si mesmo é difícil ter uma ideia clara. São coisas que consideramos divertidas, que certamente nos lembraremos dos primeiros dias de nossas vidas”.

Qual sua impressão sobre o futebol japonês?

"Acho que todos nós temos uma versão muito parecida do futebol japonês. É um futebol muito rápido, muito dinâmico, com jogadores muito explosivos a curtas distâncias”.


(Foto: Sagan Tosu/Divulgação)

Você estabeleceu alguma meta?

“Eu estabeleci metas coletivas. Mas sei que, para alcançá-las, preciso de objetivos. Para ganhar jogos, você precisa de metas”.

Relação com Iniesta?

“Falei com Iniesta quando a possibilidade surgiu para ele. Ele me contou a ideia que ele tinha. Então tudo correu como ele esperava e se tornou oficial. Ele também estava ciente da minha opção e me encorajou. As referências que ele tinha da liga e do país eram muito parecidas com as que me deram”.