Emocional pesa, mas Flamengo errou ao dar a bola ao Fluminense no Maracanã

Comentários()
Alexandre Vidal/CR Flamengo
Abel Braga apostou nos contra-ataques e viu Fernando Diniz engolir sua estratégia em dia de fortes emoções

O Fla-Flu da última quinta-feira(14) foi mais do que especial. O confronto, válido pela semifinal da Taça Guanabara, foi a primeira partida do Flamengo após a tragédia que deixou dez mortos e três feridos no Ninho do Urubu, centro de treinamento da equipe. Nas arquibancadas, homenagens e muitas emoções tomaram conta do estádio antes e durante o jogo, no entanto, dentro de campo,  o time de Abel Braga não correspondeu as expectativas. 

A derrota por 1 a 0 deixou o Flamengo de fora da decisão da Taça Guanabara, mas engana-se quem pensa que o resultado foi o principal problema. Ganhar ou perder faz parte do jogo, o que se viu no Maracanã durante pouco mais de 90 minutos foi um time de contratações milionárias dominado por um adversário tecnicamente mais limitado. 

Sem a posse de bola, o Flamengo ofereceu pouco perígo e teve que buscar oportunidades no contra-ataque, ter a vantagem do empate não pode ser uma desculpa para uma equipe que deveria propor o jogo. Ao chamar o Fluminense, Abel deixou Fernando Diniz ditar o ritmo da partida, confortável naquilo que mais gosta de exigir de sua equipe dentro de campo.  Por outro lado, o fator emocional também pesou, conforme o próprio treinador Rubro-Negro admitiu em entrevista coletiva.

"Nós homenageamos, assim como o Fluminense. A semana foi difícil. Alguns momentos tivemos descontroles. Não sei se era excesso de vontade. Quando perde o equilíbrio é complexo. Claro que foi mais difícil para o Flamengo, porque o convívio era diário". 

Mas o próprio Abel Braga sabe que isso não pode ser usado como "muleta". O emocional, principalmente num jogo como esse, repleto de apelo, mexe com qualquer um, mas é preciso entender que o Flamengo demonstrou um problema dentro de campo, de postura e de organização enquanto o Fluminense aproveitou a oportunidade para se impor e ditar seu estilo de jogo.

Diniz foi feliz ao saber neutralizar Bruno Henrique, principal aposta de Abel para o confronto, o jogador, que vinha sendo um dos destaques da equipe, não teve noite feliz e foi muito bem marcado. Willian Arão também não teve sucesso nas tenttivas de infiltração. Nem mesmo as infiltrações de Willian Arão pelo meio funcionaram. Se no individual, o time Rubro-Negro tem mais qualidade, no coletivo, o Tricolor foi superior praticamente durante toda a partida. 

Luciano Flamengo Fluminense Carioca 14022019
(Foto: Lucas Merçon / Fluminense / Divulgação)

Apesar de ter sido a primeira derrota de 2019, foi também o maior teste do Flamengo até aqui e escancarou a necessidade da equipe definir, principalmente no ataque, os titulares. Além disso, com as peças que tem na mão, talvez não seja a melhor opção esperar o adversário, afinal, historicamente o Flamengo sempre propôs o jogo e têm elenco para isso. 

Fechar