Notícias Placares ao vivo
Santos

Comissão técnica, proposta da Espanha e acordo CLT: os bastidores de Fernando Diniz no Santos

17:34 BRT 07/05/2021
Fernando Diniz em São Paulo x Coritiba
Técnico tinha oferta de clube europeu, mas fechou com Peixe. Contrato não tem multa rescisória nem prazo, mas ideia é projeto a longo prazo

Fernando Diniz é o novo técnico do Santos para o lugar vago desde a saída de Ariel Holan. O comandante vai estrear contra o Boca Juniors, pela Libertadores, na Vila Belmiro, na próxima terça-feira (11) - o interino Marcelo Fernandes será o treinador contra o São Bento, neste domingo, pelo Paulistão, em jogo no qual o time precisa empatar para escapar do rebaixamento.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

No anúncio da contratação, o Santos não sinalizou o tempo do acordo. A Goal apurou que se trata de um contrato no regime CLT, portanto, sem multa rescisória nem prazo de validade, como ocorreu no São Paulo.

Na prática, justamente por ser um acordo desse tipo, o contrato do Santos com Fernando Diniz não tem um período de vigência. Nas conversas do presidente Andrés Rueda com o técnico e seu estafe, no entanto, a intenção sinalizada é de um projeto a longo prazo, até o fim da gestão, em dezembro de 2023. O desejo era o mesmo com o argentino Ariel Holan, mas ele pediu demissão.

Livre no mercado desde a saída do São Paulo, no início de fevereiro, Fernando Diniz tinha uma proposta de um clube da Espanha de nome não revelado. Ele chegou a recusar uma sondagem do Fortaleza, antes da saída de Holan da Vila Belmiro.

Inicialmente, nem o técnico nem o Santos estavam convictos do acerto. Diniz não estava entre os primeiros nomes do Comitê de Gestão, que tentou antes outras alternativas como, por exemplo, Renato Gaúcho. A negociação avançou a partir da sintonia do presidente Rueda e de Diniz nas conversas. 

No Santos, a comissáo técnica de Fernando Diniz terá salário superior ao do acordo com o São Paulo e menor do que o pago a Ariel Holan. Além dele, se somam ao Peixe os auxiliares Márcio Araújo, Eduardo Zuma e o preparador físico Wagner Bertelli. O vínculo acertado tem bônus por metas esportivas, como títulos e classificação para a próxima edição da Copa Libertadores.

Além de definir um novo treinador, o Santos segue no mercado em busca de um novo executivo de futebol. Nomes como Diego Cerri (foi cotado, mas se aproximou do Grêmio), Klauss Câmara (houve um acerto inicial e depois recuo), Zé Roberto (recusou convite) e Alexandre Mattos (oferecido, mas sem avanço) rodaram nos bastidores da Vila Belmiro, mas não houve acordo firmado até o momento.