Botafogo e Marcelo Chamusca, juntos no maior desafio de suas vidas

Marcelo Chamusca Botafogo apresentação 22 02 2021
Vitor Silva/Botafogo
O Alvinegro anunciou o seu novo treinador para a desafiadora temporada 2021

O Botafogo apresentou Marcelo Chamusca como seu novo técnico nesta temporada 2021. O novo comandante estava sem clube depois de ser demitido do Fortaleza no início de janeiro. No Leão do Pici, não conseguiu os bons resultados que vinha apresentando pelo Cuiabá na Série B. A segunda divisão será justamente o palco de uma almejada reconstrução tanto da instituição alvinegra quanto do profissional, que se unem no que pode ser considerado o maior desafio de suas vidas – no caso de Chamusca, evidentemente, da vida como treinador.

A situação do Botafogo é conhecida por quem acompanha futebol: quisera o torcedor que o jejum de títulos nacionais de primeiro nível, que irá completar 26 anos, fosse o único drama em sua rotina. O clube tem dívidas que alcançam o bilhão de reais, não arrecada – nem de longe – tanto quanto deve, carece de uma estrutura necessária dentro do esporte de alto rendimento e foi rebaixado no Brasileirão em uma campanha que põe no elenco atual o rótulo de “pior Botafogo da história” .

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

O cenário fica ainda pior quando se leva em consideração que os cariocas, assim como todos os quatro rebaixados, sequer receberão dinheiro pela participação no Campeonato Brasileiro de 2020.

Kevin Zé Welison Botafogo Sport rebaixamento Brasileirão 06 02 2021 (Foto: Getty Images)

Voltar à elite do futebol em 2022, especialmente em uma Série B que promete ser das mais difíceis da história em 2021, provavelmente será mais difícil do que foi quando o Botafogo conseguiu, em 2003, voltar pela primeira vez da segunda para a divisão de elite. Ao contrário do que acontecia anos atrás, e conforme foi comprovado pela campanha do Cruzeiro nesta temporada, o retorno imediato está longe de ser algo garantido – e tamanha é a terra arrasada botafoguense que há quem tema a repetição do filme visto pelos torcedores do Fluminense na década de 90, com uma queda para a Série C.

Marcelo Chamusca, cujo irmão Péricles teve passagem como técnico do Botafogo em 2004, também chega em um momento em que precisa dar uma resposta em sua carreira. O treinador fazia um excelente trabalho pelo Cuiabá quando aceitou o desafio de comandar o Fortaleza, logo após a saída de Rogério Ceni para o Flamengo. No Leão do Pici, a passagem pela elite foi péssima: em nove jogos, apenas uma vitória – justamente sobre o Botafogo – e o restante dividido igualmente em derrotas e empates, deixando a equipe na luta contra o rebaixamento.

O Botafogo, contudo, aposta no histórico de acessos de Chamusca: em 2013 Marcelo levou o Salgueiro da Série D para a C; três anos depois, o Guarani treinado por ele foi da C para a B e em 2017 o treinador conseguiu seu último acesso ao conduzir o Ceará da segunda para a primeira divisão.

A experiência recente na segundona, um fator importante, também pesa a favor do novo comandante alvinegro: pelo Cuiabá, justamente o time que eliminou o conjunto carioca na Copa do Brasil e aprofundou definitivamente a crise botafoguense, Marcelo Chamusca teve aproveitamento de 57% na Série B entre as temporadas 2019 e 2020 – aproveitamento de time que luta por acesso.

Na campanha do Cuiabá nesta Série B, o trabalho de Chamusca foi ainda melhor: 60% de aproveitamento , fazendo boa parte da campanha que garantiu o acesso dos auriverdes para a primeira divisão – o time terminou em quarto.

Se o Botafogo aposta no histórico de acessos e no animador desempenho recente de Marcelo Chamusca na Série B, o treinador ganha, depois de uma campanha muito ruim com o Fortaleza, a oportunidade de comandar um clube que, ainda que viva um de seus piores momentos, é um dos mais tradicionais do país. A margem de erro de um e de outro é pequena e é impossível prever o que poderá acontecer. Certeza, a de que ambos estarão juntos no maior desafio que já viveram dentro do futebol.

"É uma satisfação muito grande estar falando pela primeira vez como treinador do Botafogo. Queria agradecer ao presidente pela oportunidade de trabalhar num clube com a grandeza e história do Botafogo. Prometo muita entrega e dedicação. Vou me dedicar diuturnamente para conquistarmos juntos os objetivos. Objetivo principal é o acesso à Série A do Botafogo. Muito feliz, motivado e consciente dos desafios", disse o novo treinador alvinegro em sua apresentação oficial.

"O desafio é imenso e a visibilidade é proporcional. O que me motiva é esse momento de reestruturação. Estou chegando em um momento importante do clube, e temos condição de agregar nesse momento. Queremos fazer uma grande temporada para fazer o Botafogo voltar a vencer e dar alegrias ao torcedor. Esse é o objetivo do futebol", completou.

Fechar