Sem dinheiro para contratar, times grandes vão atrás de destaques da Série B 2020

O Palmeiras deve anunciar a contratação de Ademir, ex-América, enquanto o São Paulo já anunciou Bruno Rodrigues, ex-Ponte... e isso é só o começo

Em meados da década passada, era comum que equipes apostassem alto e abrissem os cofres repatriando grandes jogadores em fim de carreira. Nomes importantes do futebol brasileiro que retornavam para encerrar a carreira em equipes como Corinthians, Flamengo, São Paulo e Palmeiras, entre outras. Com a crise financeira da atualidade e os impactos do Covid-19, porém, outros modelos de negócio parecem ganhar espaço.

Salvo o endinheirado Atlético-MG (apostando alto em jogadores de impacto como Hulk, Nacho Fernández e cia) e o São Paulo de Miranda e Éder, a maioria das equipes consideradas grandes no futebol brasileiro vem apostando em outro perfil de jogador: além de um investimento muito maior na base e em jovens talentos da América do Sul, atletas que se destacaram na segunda divisão vem sendo mais e mais assediados no mercado. Nada de novo, mas que vem sendo uma solução mais comum nesses últimos meses.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

O caso do Palmeiras é emblemático. Mesmo tendo recebido muito dinheiro em premiações após o 2020 dos sonhos com Abel Ferreira, o time está perto de anunciar a contratação de Ademir, atacante do América-MG e um dos principais jogadores da temporada passada na Série B. Breno Lopes, autor do gol do título da Copa Libertadores, também chegou no mesmo modelo, após brilhar no Juventude.

Breno Lopes Palmeiras campeão Libertadores 31 01 2021

Já o São Paulo, mesmo procurando nomes mais veteranos e envelhecendo o elenco, foi buscar a solução para o problema dos lados de campo na Ponte Preta: Bruno Rodrigues, jovem ponta, chegou por empréstimo com passe pré-fixado e deve ganhar espaço ao longo da temporada.

Messias, de boas temporadas no América-MG, vem sendo sondado por clubes como Grêmio, Bahia e Ceará. Este último, então, já acertou com nomes como João Ricardo (Chapecoense), William Oliveira (Chapecoense) e Jordan (Botafogo-SP), jogadores que atuaram em 2020 na segunda divisão. Já o Tricolor de Aço fechou com Luiz Otávio (Chapecoense) e está atrás de Guilherme Rend (Vitória).

E até mesmo os grandes rebaixados à Série B resolveram trazer destaques da competição na última temporada para reforçarem o elenco. Diferentemente do que tentou em 2020, quando montou uma "equipe de Série A" para jogar a "Série A-2", repleta de veteranos e medalhões, o Cruzeiro encontrou nomes como Marcinho (Sampaio Corrêa), Matheus Barbosa (Cuiabá), Alan Ruschel (Chapecoense), Felipe Augusto (América-MG) e Bruno José (Brasil de Pelotas).

Exatamente o mesmo que vem tentando fazer o Botafogo: o time remodelou o elenco, se livrou de veteranos caros e trouxe atletas como Ronald (Botafogo-SP), Pedro Castro (Avaí), Marcinho (Cuiabá), Matheus Frizzo (Vitória) e Felipe Ferreira (Cuiabá). Já o Vasco sondou Hayner (Cuiabá), mas não conseguiu fechar o negócio.

Claro: é preciso mesclar e é praticamente impossível ganhar títulos apenas com esse tipo de apostas, um movimento que sempre existiu. Mesmo assim, trata-se de uma alternativa mais barata ao mercado europeu, especialmente com o real desvalorizado no momento. Uma solução, talvez, mais viável do que a onda de veteranos que tivemos no começo da década.

Fechar