Notícias Placares ao vivo
Athletico PR

Rony já foi 'risco desnecessário' ao Corinthians antes de entrar para elite do mercado nacional

18:16 BRST 06/02/2020
Rony Athletico 2019
Atacante do Athletico quase foi parar no Timão em 2018, enquanto tentava deixar o Japão para voltar ao Brasil

O ano era 2018 e o Corinthians tentava achar opções em meio à saída de nomes importantes do título brasileiro no ano anterior. A busca por um nome para a ponta esquerda era um desejo de Fábio Carille e, em uma oportunidade de mercado, o Timão acertou verbalmente com um atacante Rony, que estava livre no mercado após um imbróglio mal resolvido no Japão.

Assista ao Athletico no Paranaense 2020 com o DAZN: clique aqui para testar o serviço por um mês grátis

Corta para 2020. O mesmo Rony vira objeto de desejo do próprio Corinthians e do arquirrival Palmeiras, em novela que se estende por toda a preparação para a temporada. Cotado em 12 milhões de euros (cerca de R$ 55 milhões), recebe esforços dos dois gigantes paulistas para a sua contratação, mas acaba acertando sua renovação com o Athletico.

A trajetória do veloz atacante, hoje certamente parte da elite entre os jogadores da sua posição no país, é uma das principais histórias recentes envolvendo o nosso futebol. Aproveitando a ocasião, a Goal conta para você como ele quase foi jogador do Timão quase dois anos antes de ser moldado por Tiago Nunes e ganhar o respeito de todos.

À época, o acerto verbal entre clube e jogador chegou a ser admitido internamente pela diretoria corintiana, e a contratação era tratada como certa. O problema foi que, ao analisar a situação do atleta, o departamento jurídico alvinegro sugeriu que o negócio não fosse adiante: havia temor que, caso assinasse com Rony, o Corinthians tivesse de arcar com os custos da sua rescisão.

Em situação semelhante à vivida pelo peruano Cueva, no Santos, os japoneses do Albirex Niigata acusavam Rony de ter abandonado o clube para voltar ao Brasil. Neste caso específico, porém, o atleta e seu advogado não reconheciam o que seria um contrato de três anos firmado por ele em 2017, que lhe vinculava ao clube até o fim de 2020. O caso está na Fifa e, pela jurisprudência, o clube que o contratasse poderia ser condenado a pagar até R$ 40 milhões.

Inseguro à época para trazê-lo, o Timão estava disposto a pagar quase R$ 30 milhões recentemente pelo mesmo atleta, avaliado em R$ 60 milhões pelo Athletico. Sem o dinheiro para exercitar o seu desejo, o Timão viu o arquirrival Palmeiras entrar na briga para ter o atleta que poderia ter adquirido também antes, mas que só lhe saltou aos olhos com o ótimo desempenho em 2019.

No Verdão, Rony era visto como o nome pronto para fazer a concorrência entre os jovens Wesley e Gabriel Veron para subir de patamar. A oferta foi feita e o clube esperou cerca de duas semanas por um acerto, mas acabou vendo Rony permanecer em Curitiba.

Agora certo para o 2020 rubro-negro, Rony poderá dar continuidade aos nove gols e 10 assistências somados no ano passado. A equipe terá neste ano a disputa da Copa Libertadores da América, da Copa do Brasil, da Supercopa do Brasil e do Campeonato Brasileiro.