Notícias Placares ao vivo
Carlos Tevez

Por que Tévez é reserva no Boca Juniors?

19:33 BRST 11/11/2018
Carlos Tevez Boca Juniors 2018
Ídolo argentino, atacante não participou da vitória da equipe sobre o Palmeiras na Libertadores, mas entrou em campo no primeiro jogo da final

Grande ídolo da torcida do Boca Juniors, Carlos Tévez vem amargando uma temporada difícil com a camisa do clube argentino. Reserva no time atual, o atacante registra apenas 11 jogos disputados desde o seu retorno em janeiro de 2018, com dois gols marcados. E a sua história recente não foi diferente neste domingo (11) quando viu a sua equipe empatar com o River Plater em 2 a 2, no jogo de ida da final da Copa Libertadores.

Na Bombonera, o argentino iniciou a partida no banco, mas entrou em campo aos 27 minutos da segunda etapa no lugar de Villa. 

Com o resultado, a decisão está em aberta e quem vencer no Monumental no próximo dia 24, fica com o título.

Tévez passa por algum problema físico?

Em março, o camisa 10 sofreu uma lesão polêmica na panturrilha direita, com jornais argentinos apontando que o jogador teria se machucado durante uma pelada disputada na prisão em Córdoba. Ainda segundo as mídias locais, a partida aconteceu durante a visita do atacante ao seu irmão Juan Alberto Martínez, que está condenado a 16 anos de prisão após tentar assaltar um carro blindado.


Foto: Getty Images

Atualmente já recuperado, Tévez perdeu espaço na equipe com o técnico Guillermo Barros Schelotto. Seu último gol, por exemplo, ocorreu no dia 30 de setembro, na vitória sobre o Colón, na Bombonera, pela sétima rodada do Campeonato Argentino. Na ocasião, o ídolo da torcida saiu do banco de reservas aos 32 do segundo tempo, e três minutos depois desencantou, marcando o terceiro gol do Boca e o seu primeiro na competição.

Com o problema físico afastado, o jornal 'Olé' revelou um problema entre Schelotto e o jogador, quando o ídolo foi jogar na China em 2017. No entanto, o treinador negou qualquer atrito com o camisa 10.

Problemas físicos, com o técnico ou apenas uma opção tática? Certo mesmo é que a torcida e os diretores do Boca já questionavam a forma do ídolo antes mesmo da lesão, sendo pouco participativo e sofrendo jejum de gol. Com aposentadoria anunciada para 2019, Tévez terá de lutar para não encerrar a carreira sem o brilho que encantou o mundo.