Mourinho é demitido do Tottenham e indica "rebaixamento" na carreira

Treinador português deixa o comando do Spurs com 44 vitórias em 86 jogos e sem títulos

José Mourinho não é mais treinador do Tottenham. O time inglês confirmou a saída do português na manhã desta segunda-feira (19) em comunicado no site oficial. Mais uma vez, o "Special One" deixa uma equipe do "Big Six" inglês após resultados fracos e sem cumprir o principal objetivo: voltar a vencer um título.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Curiosamente, a demissão acontece cerca de uma semana antes de uma final que o Spurs disputará. No domingo (25), o Tottenham enfrenta o Manchester City pela decisão da Copa da Liga Inglesa, já sem o português. O time passa a ser comandado interinamente por Ryan Mason até que um novo comandante assuma o cargo. Com Mourinho, saem também da comissão João Sacramento, Nuno Santos, Carlos Lalin e Giovanni Cerra.

Contratado no decorrer da temporada 2019/20 após a demissão de Mauricio Pochettino, José Mourinho disputou 86 partidas no comando do Spurs, com recorde de 44 vitórias, 19 empates e 23 derrotas. A relação clube-treinador já estava desgastada desde a eliminação para o Dínamo Zagreb na Liga Europa.

A demissão do Tottenham é mais um passo para o "rebaixamento" de Mourinho. Antes considerado um dos melhores treinadores do mundo, hoje o português é visto como um problema para seus times. Foi assim, pelo menos, nos seus últimos dois trabalhos: no Manchester United e agora no Spurs.

Mourinho, sempre cotado para assumir os melhores times do mundo, já carrega consigo uma certa desconfiança e parece realmente ter baixado de patamar, com outros treinadores ganhando o destaque que um dia ele teve. Dias atrás, Paul Pogba comentou que o relacionamento com os atletas foi o principal motivo para que o português não tenha dado certo no Red Devils.

A demissão acontece horas depois do anúncio da criação da Superliga Europeia. O Tottenham é um dos 15 "clubes fundadores" do torneio, mas ainda não é possível afirmar se isso tenha pesado ou não para o rompimento entre Mourinho e Spurs.

Fechar