Corinthians: Danilo Avelar brilha, e Carille pede compra: "Tem que pensar no futuro"

Comentários()
Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians
Lateral esquerdo balança a rede contra o Ituano, faz 4º no ano pelo Timão e vê Carille pedir à cúpula para segurá-lo em definitivo por R$ 6,5 milhões

Danilo Avelar marcou os gols das duas últimas vitórias do Corinthians no Campeonato Paulista, diante de Oeste e Ituano. O lateral esquerdo, que está emprestado ao Timão pelo Torino, da Itália, até julho, terá a compra pedida por Fábio Carille.

O técnico espera que o atleta siga na equipe no segundo semestre. Porém, sabe que, para que isso aconteça, é preciso desembolsar 1,5 milhão de euros (R$ 6,47 milhões), conforme estabelecido em contrato.

"Vai ser um pedido meu. Não sentamos para conversar, mas vou pedir para que aconteça. Se pensa em Arana e Sidcley, mas tem que pensar em futuro. O Avelar tem 30 anos [são 29 na verdade]. No começo não se falou por causa do Carlos, que estava na Seleção, mas no caso do Avelar vai ser um pedido meu para que seja contratado", disse em sua entrevista coletiva após o triunfo por 1-0 sobre o Ituano na noite desta quarta-feira (20).

Fábio Carille revela que o acompanhava mesmo quando defendia o Al Wehda, da Arábia Saudita, no ano passado, e explica como vê o jogador no elenco corintiano.

Mais artigos abaixo
Fábio Carille Ituano Corinthians Paulista 20032019
(Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians)

"Claro que na Arábia Saudita a gente conseguia acompanhar, então vi muitos jogos, não só do Corinthians. Eu via esse jogador pela lateral. Fui buscando informações dele na Europa, como jogava, acho que tem todo perfil de ser até quarto zagueiro. Vem sendo um dos mais regulares desde o primeiro jogo, não é nota 10, mas não é nota 4. Sempre 6, 7, fazendo bem a função. Ajuda na bola área ofensiva e defensiva", afirmou.

Danilo Avelar faz uma análise sobre o seu momento no CT Joaquim Grava e explica o que mudou de 2018 para a atual temporada.

"Mudou no geral (em relação a 2018), não só no aspecto pessoal, mas o conjunto, ambiente, não que era ruim no ano passado, mas mudou a filosofia de trabalho. Temos muito empenho, a receita é essa. Com o conjunto bem, o individual melhora", concluiu.

Fechar