Notícias Placares ao vivo
Brasil

Ainda 'zerado' na seleção, Arthur sonha com gol em volta à Arena: "seria perfeito"

19:28 BRT 26/06/2019
Arthur Tomas Rincon Brasil Venezuela Copa América 18062019
Em casa no estádio do Grêmio, meia reconhece necessidade de contribuir com mais finalizações já diante do Paraguai, pelas quartas da Copa América

Peça fundamental na articulação da seleção brasileira, o meia Arthur se aproxima de seu 11º jogo com a camisa amarela sonhando em quebrar uma marca: balançar as redes pela primeira vez no time do técnico Tite. E que ocasião melhor que uma quarta de final de Copa América diante do Paraguai, nesta quinta-feira (27), em seu retorno à Arena do Grêmio, justamente o gramado onde ganhou projeção no futebol.

O meia de 22 anos é apenas um dos dois jogadores do time titular do Brasil que ainda não somou gols pela seleção, ao lado apenas do goleiro Alisson, mas garante que deve fazer um esforço extra para mudar essa escrita.

"Seria perfeito. Não é minha principal função mas tenho me cobrado bastante, o professor também, pegam no meu pé", brincou na coletiva de imprensa em Porto Alegre, nesta quarta.

"Não aguento mais ouvir ‘acerta na casinha’ (que pede Tite). É um puxão de orelha, na brincadeira, mas sei que é preciso fazer o goleiro trabalhar, dar um susto ao adversário, também quero pisar mais na área, chutar mais de longe, quem sabe. Estou buscando isso, e se acontecesse na Arena, seria realmente inesquecível."

Por outro lado, o jogador do Barça aceita a missão que terá na superação da forte defesa dos paraguaios: no treino da tarde, o técnico Tite já fez um ensaio esperando uma postura mais cautelosa do adversário, de modo que a presença de alguém como Arthur possa ser fundamental para o sucesso ofensivo do time.

"Acho que não só eu (serei responsável). Quem for fazer ao meu lado como volante, até porque isso pode sobrecarregar, vai tentar achar esse passe entrelinhas. Sabemos como eles jogam, estudamos bastante e precisamos seguir o que trabalhamos. Passe em profundidade, quebrando as linhas do adversário, é por aí."

Diante de um adversário conhecido pelo jogo físico, Arthur, que é também o atleta que mais recebeu faltas nesta Copa América até aqui (12), sabe que terá de encarar de frente a vitalidade do Paraguai: trata-se do terceiro time que mais cometeu faltas no torneio, ao lado da Argentina (50).

"Fiquei sabendo desses dados (jogador que mais sofreu faltas) ontem, me falaram até em tom de brincadeira", prosseguiu. "Acho que é o estilo da competição, mais ríspida, um jogo de mais contato. Desde que seja de forma leal, não vejo problema, é o estilo de arbitragem."

O ex-jogador do Grêmio volta à antiga casa onde conquistou a Copa Libertadores (2017), Recopa e Gauchão (2018), formando dupla ao lado de Allan no jogo desta quinta, a partir das 21h30 do horário de Brasília.