Veja a conversa completa do VAR na polêmica entre Palmeiras e Botafogo

Comentários()
Felipe Oliveira/Bahia/Divulgação
Conversa foi exposta durante julgamento do caso no STJD

A polêmica do jogo entre Palmeiras e Botafogo teve seu fim nesta terça-feira no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Com todas as partes envolvidas reunidas, o tribunal decidiu, por 9 votos a 0, manter a vitória do Palmeiras por 1 a 0, em duelo realizado no 25 de maio, pela sexta rodada do Brasileirão. Assim, o Palmeiras resgata os tês pontos que tinham sido tirados da tabela oficial da CBF.

Quer ver jogos ao vivo ou quando quiser? Acesse o DAZN e faça o teste do serviço por um mês grátis!

Durante o jugalmento, uma novidade chamou a atenção: o conteúdo do áudio da comunicação do VAR com o árbitro do jogo foi revelado durante a sessão. Entenda o caso completo. Na conversa, é possível perceber até um comentário sobre o fato de Deyverson "se jogar". O lance polêmico foi em torno de um pênalti sobre o atacante do Palmeiras.

Confira abaixo a transcrição do áudio a partir do momento em que o árbitro está advertindo Deyverson com o cartão amarelo pela suposta simulação no lance:

Cabine do VAR: Tá impedido. Marcou impedimento. Passa pra lá. Pode ir devagarinho. Volta um pouquinho aqui, o ponto de contato. [Jogo recomeça] Segura, segura, Paulo, não reinicia, segura. Vou checar esse lance aqui, só um pouquinho.

Paulo Roberto: Ok, ok, ok

Cabine do VAR: Vai soltando um pouquinho. A perna de trás dele aqui ó.

Paulo Roberto: Ele se jogou. Ah, ele se jogou. Bruno, você conhece.

Cabine do VAR: Só que teve o toque antes. Mas é normal, não? Chama pra revisão. Ó, tá vendo aqui? Volta um pouquinho. Tem uma imagem aberta melhor que essa? Aí, pega aqui, tá vendo, ó? Paulo, Adriano falando.

Paulo Roberto: Pode falar

Cabine do VAR: Sugiro uma revisão desse lance de um possível penal antes do tombo do Deyverson, tá? Por favor.

[Paulo Roberto vai ao monitor do VAR]

Cabine do VAR: Não é o pé que tá na bola. É o pé de trás dele. Dá uma olhadinha lá.

A partir desse ponto, começa uma discussão generalizada entre o que parece ser o árbitro e os assistentes de campo. O áudio fica de difícil compreensão. Embora seja complicado identificar quem está falando no meio do tumulto é possível distinguir as seguintes frases : "para mim [foi] penal, para mim [foi] penal", "para de gritar. Quem tá gritando?".

Cabine do VAR: Tá muita gente falando. Os assistentes por favor silêncio aí senão a gente não consegue conversar.

Paulo Roberto: Ok, vou retirar o cartão e marcar tiro penal. Quem é o jogador que vai lá? Eu quero ver, porque entra na temeridade porque atingiu com a sola. O defensor que faz a falta. Dá outro ângulo.

Cabine do VAR: Pega a invertida. A grua, a grua, a grua.

Paulo Roberto: A câmera da grua. Eu quero ver o número dele. Muda a câmera, muda pra grua. Muda pra grua que vai passar o número.

Cabine do VAR: Número dois

Paulo Roberto: Número dois? Ok. Tiro o cartão.

Depois disso, o árbitro apita apontando a marca do pênalti.

Cabine do VAR: Um minuto e? [Outro do VAR responde] Cinquenta e seis.

Fechar