Vazamentos expõem péssimo clima entre Rogério Ceni e funcionários do Flamengo

Última atualização
Getty Images

A situação nos bastidores do Flamengo está tensa. Há um clima de guerra fria entre a Gávea, o departamento de futebol e a comissão técnica de Rogério Ceni. Nesta sexta-feira (09), um áudio vazado trazido pelo GE expôs a situação incômoda entre trabalhadores do Ninho e o treinador. 

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Na última quinta-feira (08), alguns rumores deram conta de que quem estava segurando a permanência de Rogério Ceni no comando do Flamengo seria o departamento financeiro, comandado pelo vice-presidente Rodrigo Tostes. O fato deixou o dirigente extremamente irritado, a ponto de vir a público negar qualquer influência na decisão de manter o comandante. 

No áudio, o analisa de mercado do Centro de Inteligência (CIM) do clube, Roberto Drummond, criticou o trabalho de Ceni no dia a dia. Leia abaixo tudo o que foi dito. 

"Não consigo entender. Estou sendo bem sincero. Achei que ele ia cair ontem (após a derrota para o Atlético-MG), achei que ia cair contra o Fluminense. O cara não cai. Não sei por quê.

(...) A gente vai sangrar em uma competição, tomara que não seja a Libertadores, para tirar ele. Ou perder para a Chapecoense no fim de semana, o que é improvável, mas poderia ser.

Cara, ele é uma pessoa ruim. Não tem outra definição. É uma pessoa ruim. O cara é perdido, faz merda, critica departamentos. Ele não tem respaldo do pessoal de cima, deixa ele meio perdido aqui. Mas ele está lá há quase um ano já, ele nunca se interessou em sentar com o pessoal da análise de desempenho, que são os caras de tática e tal, para ver quais são os processos, o que que faz.

Ele nunca se interessou em sentar no nosso departamento, virar e falar: "gente, estou precisando de pessoas, de jogadores, de um cara assim, o que vocês tem? Me ajudem".

Ele só chega para a gente e fala assim: "Eu quero um jogador do Fortaleza". A gente vira e fala que tem um melhor. Ele já pediu cinco, se não me engano. Até hoje um ele força a barra. Vem toda hora puxar assunto dessa m... de jogador dele. "Ah, vocês viram?"

Um que ele pediu já está no Ceará, outro no Cuiabá. Porra, cara, não tem como trabalhar com o cara. Ele é muito ruim.

Aí a gente chega para ele com três quatro nomes bons, europeus, os caras vindo de graça, por empréstimo, aí ele fala: "Não conheço". Nem procura entender, saber quem é. Sinceramente.

Eu falo mau-caráter pelas coisas que já aconteceram aqui dentro, de ele f... pessoas. Ele está falando com uma pessoa, ela sai da sala, e ele começa a xingar a pessoa para a outra pessoa. E a outra pessoa, que era amiga da que saiu, fala para ela.

Já aconteceu várias vezes. Ele trouxe um cara do Fortaleza, um analista de desempenho, o cara falou: "Não sei por que ele me trouxe. Só me xinga, só falava mal de mim no Fortaleza".

Ele é muito mau-caráter. Tudo aquilo que aconteceu no Cruzeiro, deve ter sido o contrário. Os caras devem ter f... com ele porque ele f... com os caras. Totalmente arrogante, totalmente babaca. Você vê pelas entrevistas dele. Tudo ele está certo e está todo mundo errado. Ele acha todos os erros na partida e não dá uma solução. Cara, é decepcionante. Quanto mais tempo ficar, mais a gente vai sangrar. Porque é ruim.

Ele é tão ruim que ele trouxe dois auxiliares. Um, quando ele teve Covid, ele não quis deixar ir para campo, porque o cara é ruim, só sabe montar campo. Ele teve que chamar o cara do sub-20 para ser auxiliar dele, de tão ruim que os caras que ele pegou trouxe. Esse francês é nojento de ruim. Gente boa para c..., esse é gente boa, mas é muito ruim. Está perdido. Enquanto ele continuar lá a gente está perdido."

O vazamento do áudio trouxe consequências. A diretoria do Flamengo desligou Roberto Drummond do clube. A confirmação da demissão ocorreu nesta sexta-feira.

Antes do vazamento do áudio, uma matéria trazida pelo jornalista Mauro Cezar, que indica um erro da equipe de inteligência do clube ao analisar um adversário que o Rubro-Negro enfrentou em janeiro, foi encarada como desaforo no setor. Segundo apuração da Goal, pessoas de dentro do Flamengo acreditam que o staff do treinador tem vazado notícias para a imprensa com o intuito de abafar as críticas que vem sofrendo pela má fase do time e atacar profissionais com quem não tem bom relacionamento. 

A insatisfação interna é grande. Conforme trouxe a Goal, o fato do vice-presidente de finanças, Rodrigo Tostes, vir a público negar que seja um dos responsáveis pela permanência do treinador causou grande desconforto, inclusive com Rogério Ceni. O comandante se vê minado no clube e pressionado a pedir demissão. Mas, pelo menos por enquanto, isso não passa pela cabeça do treinador. 

É em meio a este clima que o Flamengo encara a Chapecoense, no próximo domingo (11), no Maracanã.

Depois disso, o time Rubro-Negro viaja para a Argentina, onde abre as oitavas de final da Copa Libertadores, diante do Defensa y Justicia, no dia (14). Um revés contra a Chapecoense, em casa, pode ser o fim da linha para o técnico, que agora depende apenas dos resultados para se manter no clube.