Ronaldo e Adriano fizeram Lukaku torcer pela Inter e se inspirar em brasileiros

2020_3_21_lukaku
(C)Getty Images
Atacante belga revela admiração pelos brasileiros, exalta parceria com Lautaro e Sanchez em Milão, e também diz que tenta evoluir em assistências

Romelu Lukaku está fazendo uma bela temporada ao lado de Lautaro Martinez no comando de ataque da Inter de Milão. É verdade que o argentino deve deixar o clube na próxima janela de transferências, com Real e Barça interessados em contar com o atacante. Mas o fato é que Lukaku está muito feliz na Inter, time que torcia quando era criança.

Em uma conversa com Thierry Henry, durante uma live no Instagram, o atacante confessou que sempre gostou muito da Inter de Milão, por causa de dois brasileiros em especial.

"Era minha equipe na Itália quando eu era criança, [por causa do] R9, Adriano. Então, para mim, é como um sonho [jogar na Inter]”.

Mas além disso, o belga revelou que suas primeiras lembranças sobre futebol envolvem Ronaldo Fenômeno e a Inter. Depois, o próprio Henry, que trabalhou com Lukaku na seleção da Bélgica, serviu de inspiração para centroavante, além de Adriano, claro.

Ronaldo De Lima Inter Milan Foto: Getty Images

“R9 estava jogando lá quando eu tinha seis ou sete anos. 1998 foi minha primeira lembrança do futebol. A final da Copa da UEFA que disputaram, a Copa do Mundo. Depois R9 se machucou. Ele perdeu dois anos e voltou em 2002, mas foi para o Madrid”.

“E então foi você (Henry), Drogba, Adriano. Quando penso no que Ronaldo fez naquela época ... cara...".

Lukaku já havia revelado sua admiração por Adriano e que o brasileiro havia sido fundamental para sua mudança à Itália. Ele também disse que usava a camisa do brasileiro quando criança.

“A única camisa que eu tinha quando criança era de Adriano. Ele me enviou uma mensagem há algum tempo, no Instagram, porque falei sobre ele. Disse que quando era criança queria ser como ele, porque também é alto e canhoto”, contou o camisa 9 da Inter.

Agora, Lukaku está em isolamento, assim como a grande maioria dos jogadores de futebol ao redor do mundo, por conta da pandemia do novo coronavírus. 

"É difícil, sinto falta da competitividade, das sessões de treinamento, jogar na frente dos torcedores. Essa é a coisa mais difícil. Agora é um momento para eu analisar meu jogo e ver o que fiz nos últimos seis meses, para evoluir e melhorar pontos do meu jogo”.

Por fim, o camisa 9 também revelou que marcar gol é sua “droga”, mas que ele também tenta evoluir para dar mais assistências a seus companheiros, destacando a boa parceria com Lautaro e Sanchez em Milão.

Mais artigos abaixo
Lukaku Lautaro Martinez Inter Atalanta Serie A Foto: Getty Images

‘Eu disse a você (Henry), foi uma de nossas primeiras conversas na seleção. Eu quero ser um cara com dígitos duplos em gols e assistências. 25 [gols], 10 [assistências] seria bom. 20, 20 não é fácil. Eu preciso que Lautaro ou Alexis Sanchez me ajudem. Mas eles já estão funcionando bem comigo, não importa com quem eu jogo na frente”.

“Obviamente, marcar gols é meu negócio, minha droga. Mas quanto mais velho fico, tento usar a inteligência também, quero ajudar meu time. Também tenho que ser capaz de dar assistências, porque não pode ser só eu. Tem que ser o cara ao seu lado. Todo mundo tem que se sentir importante. Se eu não posso marcar, vou tentar encontrar o último passe”, finalizou.

Fechar