Renato Gaúcho e sua homenagem estilo Maradona: camisa 10 da Argentina à beira do campo

Comentários()
O treinador do Grêmio protagonizou uma homenagem sutil original e marcante a Diego em jogo pela Libertadores

Diego Maradona recebeu e vem recebendo homenagens emocionantes mundo afora. E Renato Portaluppi, técnico do Grêmio, protagonizou uma das mais inesperadas, levando em conta a função que exerce atualmente: no duelo do Tricolor contra o Guaraní, pelas oitavas de final da Libertadores, o comandante entrou em campo para comandar sua equipe trajando uma camisa da Argentina em homenagem a Maradona.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Não foi a única manifestação de reverência a Maradona, que morreu na última quarta-feira (25) e foi velado nesta quinta (26). O Internacional, adversário do Boca Juniors no duelo adiado justamente em decorrência do falecimento do ídolo argentino, pintou o Beira-Rio com o azul da seleção argentina – algo antes impensável devido à rivalidade com o Grêmio. No duelo do Napoli, clube onde Diego fez história, na Europa League, todos os jogadores entraram com a camisa 10 de Maradona.

Renato Gaúcho Maradona Grêmio Guaraní Libertadores 26 11 2020 (Foto: Lucas Uebel/Grêmio)

A homenagem de Renato, contudo, traz consigo um caráter único: qual treinador entraria em campo trajando uma camisa de jogador? A resposta à pergunta ganha um peso maior se fizermos uma comparação com o jogo entre Defensa y Justicia e Vasco, disputado pela Copa Sul-Americana ao mesmo tempo que Guaraní x Grêmio. Isso porque o time argentino é treinado por Hernán Crespo, ex-atacante argentino que marcou época no futebol. Crespo fez suas homenagens ao ídolo, e como argentino deve ter sentido bastante a ida de Diego, mas seguiu com sua vestimenta normal. O que também é normal.

Mais artigos abaixo

Renato, contudo, mostrou que seu jeito original também rende imagens bonitas e marcantes para momentos que pedem isso. O técnico do Grêmio viveu o auge de sua carreira como jogador na mesma época em que Maradona se colocava como maior do mundo de sua geração, na década de 1980. Vestir a camisa 10 do ídolo argentino, em um jogo de Libertadores, entra como mais uma bela homenagem no mar de belas homenagens a Maradona.

Após a vitória por 2 a 0 sobre o Guaraní, no duelo de ida das oitavas de final da Libertadores, Renato voltou a exaltar Maradona, lamentou a perda do amigo e dedicou a vitória gremista ao argentino.

Fechar