Raio-X: os pontos fracos de Flamengo e River Plate

Comentários()
Everton Ribeiro Exequiel Palacios River Plate Flamengo Copa Libertadores 23052018
Flamengo/Divulgação
Bola parada, linha alta e muito mais: os detalhes que podem definir o título para brasileiros ou argentinos

Lima virou a capital do futebol, pelo menos nos próximos dias. É em clima de festa que a cidade recebe Flamengo e River Plate, que duelam pela cobiçada taça da Copa Libertadores da América que acontece neste sábado(23), no estádio Monumental, na capital peruana. 

Acompanhe o melhor do futebol ao vivo ou quando quiser: assine o DAZN e ganhe um mês grátis para experimentar

Na primeira final única da história do torneio, um detalhe pode fazer toda a diferença, afinal, diferente das demais fases da Libertadores, com jogos de ida e volta, agora resta apenas uma oportunidade. Diante disso, a Goal analisou os pontos fracos de cada finalista que podem ser a chave para o vencedor. 

FLAMENGO

Pablo Mari Gilberto Bahia Flamengo Brasileirão Série A 04082019
(Foto: Felipe Oliveira / F.C Bahia / Divulgação)

Jogando um futebol vistoso, o Flamengo tem encantado o continente. Com o "jogo bonito", não abre mão da intensidade nem do ataque e é justamente aí que mora o perigo. O time Rubro-Negro explora bastante a "linha alta" e seus defensores jogam bem adiantados, quase que na marcação do meio-campo. 

Pablo Marí, por exemplo, tem ótima leitura de jogo e posicionamento, mas não é tão rápido e precisa de ajuda quando o contra-golpe adversário é bem veloz. Quando o adversário impõe uma transição rápida pelos lados do campo, acaba dificultando um pouco para o sistema defensivo Rubro-Negro. 

Outro fator que Jorge Jesus sempre chama à atenção da equipe é a concentração. Em alguns momentos, o time Rubro-Negro parece que desliga da partida ou não tem tanta maldade com o adversário. Foi assim no empate do com o Grêmio, pelo primeiro jogo da semifinal, quando sofreu um contra golpe rápido que poderia ter sido evitado se Everton Ribeiro tivesse colocado a bola para fora quando Filipe Luís se lesionou. 

No empate com o Goiás pelo Campeonato Brasileiro e o Flamengo e Vasco mais eletrizante dos últimos anos. O empate do time de Vanderlei Luxemburgo no finalzinho também ressaltou a falta de concentração da equipe nos minutos finais. 

RIVER PLATE

Pratto Fabra River Boca Fecha 5 Superliga 2019/20
(Foto: Marcelo Endelli / Getty Images)

Atual campeão da Copa Libertadores da América, o River Plate chega na terceira final em cinco anos, o time de Gallardo conhece muito bem a competição. No entanto, assim como o Flamengo de Jorge Jesus, tem alguns pontos fracos. Um deles é a bola parada. O time argentino vem sofrendo com as bolas levantadas na área. 

Mais artigos abaixo

Outro problema para o River Plate é que alguns jogadores importantes já não vivem grande fase e no banco há menos opções que o Flamengo. Lucas Pratto, por exemplo, não anota um gol desde maio, quando balançou as redes diante do Athlético-PR. Quintero também está longe de ser o jogador da última Libertadores e até mesmo Armani não vive seu melhor momento. 

Enzo Perez, importantíssimo para o esquema de Gallardo vem de uma lesão e não está 100% fisicamente. Nacho Fernandez e De La Cruz são os cérebros da equipe, quando estão bem marcados, o River Plate encontra dificuldades para chegar ao gol. 

Fechar