Dome ou Rogério Ceni: qual técnico do Flamengo teve números melhores no título do Brasileirão?

Os números são parecidos, mas quem aparece no poster de campeão é o ex-goleiro; veja a comparação

O Flamengo se sagrou campeão campeão brasileiro de 2020 sob o comando de Rogério Ceni no Morumbi. Mas vale lembrar que a campanha que resultou no bicampeonato nacional começou sob o comando de Domènec Torrent.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Assim como em 2019, quando começou a disputa pelo título com Abel Braga e terminou com Jorge Jesus, dois treinadores comandaram o Rubro-negro no título. No entanto, na conquista anterior, o português assumiu ainda no início da competição e pôde implementar seu estilo de jogo com clareza na equipe.

Rogério Ceni e Everton Ribeiro - Flamengo campeão brasileiro 2020 Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Na atual conquista, o cenário foi diferente. Dome e Ceni tiveram, praticamente, um turno cada sob o comando do Flamengo para mostrarem seu trabalho na Gávea. Qual dos dois foi mais importante para o título brasileiro de 2020? Quem foi melhor comandando o estrelado elenco flamenguista?

Dome ou Rogério Ceni: quem teve números melhores no título do Brasileirão?

Somando apenas os jogos do Campeonato Brasileiro de 2020, o aproveitamento de Rogério Ceni no Flamengo é melhor do que o de Domènec Torrent. O ex-goleiro, que se junta à uma seleta lista de campeões como jogador e treinador, conseguiu 66,7% dos pontos disputados, enquanto o catalão conquistou 61,4%.

Dome comandou o Flamengo entre a primeira e a vigésima rodada do Brasileirão, quando foi demitido e deu lugar a Ceni, que dirigiu o time entre a 21ª e a 38ª rodada. Confira os números de cada um dos treinadores:

TREINADOR JOGOS VITÓRIAS EMPATES DERROTAS GOLS PRÓ GOLS CONTRA
Domènec Torrent 19 10 5 4 33 25
Rogério Ceni 18 11 3 4 35 19

O time de Rogério Ceni marcou mais gols e foi mais ofensivo do que o time comandado pelo antecessor. Foram 287 chutes sob o comando de Ceni, sendo 95 no alvo. A pontaria do time com Dome, poém, era melhor. Foram 278 finalizações, sendo 112 no gol.

Vale citar também o sistema defensivo. Com o catalão, os goleiros do Flamengo viram os adversários finalizarem 229, sendo 77 deles no gol. Já a defesa com Ceni encarou muito menos chutes: apenas 169, sendo 65 no alvo certo.

Um dado muito importante no futebol moderno é a posse de bola e neste quesito ambos os treinadores tiveram quase a mesma média por jogo. Com Dome, a posse de bola foi de 60,1%. Com Rogério Ceni, o número é levemente melhor: 60,66%.

Fechar