De destruído à reconstrução: como o Cruzeiro volta à Serie A do Brasileirão 2023

Cruzeiro acesso Série B Série A 2022Staff Images/Cruzeiro

A espera foi longa. Muito mais longa do que se poderia imaginar. O Cruzeiro passou três anos consecutivos na Série B do Campeonato Brasileiro desde a queda em 2019, mais tempo do que qualquer outro do grupo dos considerados 12 gigantes após um rebaixamento da primeira para a segunda divisão. Mas o pesadelo celeste acabou. Após bater o Vasco por 3 a 0, o Cruzeiro está de volta à Série A do nosso país.

Muita coisa aconteceu entre a estreia cruzeirense na Série B de 2020 até o alívio de 2022. Foram 107 jogos disputados entre a vitória por 2 a 1 sobre o Botafogo de Ribeirão Preto e o acesso garantido agora contra o Vasco – justamente em um confronto de gigantes. O Cruzeiro venceu 44, empatou 39 e perdeu 24 vezes nestes três anos de Série B. Marcou 125 gols e sofreu 92. Fora de campo, a mudança definitiva que pavimentou o caminho da Raposa de volta à elite veio com a chegada da SAF e de sua compra por parte de Ronaldo Fenômeno.

Na primeira tentativa de subir, em 2020, o Cruzeiro teve que lidar com espólios da situação caótica que afundou a instituição a ponto de deixá-la praticamente em situação de terra arrasada. Começou aquela Série B com dedução de seis pontos por causa de dívidas não pagas, que fizeram a FIFA entrar na jogada para aplicar a sanção. A situação, por si só, já era o bastante para mostrar o buraco em que o clube havia se metido. Ou melhor, havia sido metido. Ao final da temporada, um decepcionante 11º lugar bem longe do G-4.

Rafael Sóbis Cruzeiro Cuiabá Série B 2020Cruzeiro

A segunda tentativa decepcionou pelo fracasso (14º na tabela final) mesmo sem a dedução de pontos. Juntando 2020 e 2021, o Cruzeiro contratou medalhões – como Rafael Sóbis e Marcelo Moreno – e foi treinado por técnicos famosos de sua história. De Felipão a Vanderlei Luxemburgo. As escolhas não deram certo por uma junção de fatores e o recado estava claro: apenas a camisa não faria o gigante retornar à elite. Olhar para um passado, ainda que às vezes um passado recente, não serviria para ajudar em vitórias. O jeito, então, foi olhar para a frente.

Ronaldo treino Cruzeiro 2022Cruzeiro

Chegou 2022 e as coisas mudaram de forma drástica. Dentre o final do ano anterior e o decorrer do atual, Ronaldo comprou a SAF e passou a administrar o futebol cruzeirense. Caras novas chegaram, algumas jovens e outras que pareciam estarem talhadas para a missão principal – como o artilheiro Edu, destaque da Série B de 2021 pelo Brusque e nome importantíssimo para o sucesso da Raposa na atual temporada. Ídolos saíram. Talvez o único ponto negativo no 2022 do Cruzeiro tenha sido a forma como o goleiro Fábio deixou o clube após 17 anos e 976 jogos. Coisas do futebol profissional. Sob as traves celestes, Rafael Cabral também foi uma das peças-chaves como goleiro menos vazado do certame.

A importância de Pezzolano

Pezzolano Cruzeiro 2022Cruzeiro

Outro grande protagonista foi o técnico Paulo Pezzolano, antes um desconhecido da maior parte dos fãs de futebol e dono de um grande trabalho logo na sua primeira experiência em terras brasileiras. Jogando bem e apresentado variações, o seu time não deu mostras de que não conseguiria o acesso. O uruguaio, inclusive, conduziu o Cruzeiro de volta à primeira divisão com recorde de rodadas de antecedência na história do torneio: faltam sete jogos para o término da Série B 2022, mas para a torcida celeste o cenário já é de final feliz. A espera acabou. De volta ao seu lugar, o Cruzeiro agora busca seguir olhando para a frente.