Notícias Placares ao vivo
Atlético-GO

Atlético-GO recebe vacina contra Covid-19, mas nega furar fila: "Queriam estar no nosso lugar"

10:06 BRT 07/05/2021
Atlético-GO recebe a vacina contra Covid-19
O Dragão foi tomou a primeira dose fornecida pela Conmebol, que recebeu um lote de imunizantes ainda em abril

O Atlético-GO é o primeiro time brasileiro vacinado contra a Covid-19. Os atletas do time goiano receberam a primeira dose na campanha de vacinação da Conmebol, que recebeu um lote para a imunização  de atletas e profissionais envolvidos nas competições da entidade. Por conta da situação no Brasil, porém, o Dragão recebeu críticas e foi chamado de "fura fila".

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Ainda no mês de abril, a Conmebol divulgou uma nota oficial informando o recebimento de 50 mil doses da vacina da empresa farmacêutica chinesa Sinovac Biotech. A entidade, desde sempre, deixou clara a intenção de vacinar os profissionais envolvidos em suas competições, porém houve uma controvérsia envolvendo o Brasil.

Segundo a determinação brasileira, a vacinação contra a Covid-19 é pública e, desta forma, qualquer imunização privada está vetada. Logo que foi feito o anúncio da vacinação da Conmebol, já ficou claro que, se o lote de vacinas entrasse no Brasil, seria encaminhado ao SUS, conforme prevê a determinação, já que não há uma justificativa contundente para que os atletas passassem na frente na fila da imunização. 

A entidade, no entanto, continuou com o plano de vacinação, para "tornar o nosso futebol mais seguro", conforme escreveu o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, em suas redes sociais. Para isso, porém, as equipes vão tomar a vacina em outro país da América do Sul.

O primeiro time brasileiro a ser vacinado foi o Atlético-GO, na sede da Conmebol, no Paraguai. A delegação do Dragão estava em Assunção para a disputa do confronto contra o Libertad, pela Copa Sul-Americana e, antes de voltar ao Brasil, recebeu a primeira dose do imunizante. Nas redes sociais, porém, houveram muitas críticas à postura do clube de aceitar a vacina.

Ao desembarcar no Brasil, ainda no aeroporto, o presidente do Atlético-GO, Adson Batista, falou à Rádio Sagres 730 rebatendo as críticas e insinuando que tudo se deve à "dor de cotovelo" de quem ainda não pôde ser vacinado.

“Quem fala em furar fila é sensacionalista. Nós somos pessoas que não vamos transmitir o vírus. A vacina está no Paraguai. Nós não gastamos nenhum centavo do governo brasileiro. Se a gente não usasse essa vacina, ela jamais viria para o Brasil. Como que furou fila? Furar fila é um termo irresponsável, de pessoas que querem jogar pra galera e conversar coisas sem fundamento. O Atlético em momento nenhum furou fila. Apenas aceitou uma vacina que não é do Brasil”, disse o presidente.

Perguntado sobre como o Dragão vai lidar com as críticas, o cartola disse não se importar, defendendo o clube. “Muita gente queria ter contratado o Jean e não teve coragem. O Atlético tem coragem, convicção. O Atlético faz as coisas com seriedade. Quem fala esse tipo de coisa é porque morre de dor de cotovelo e queria estar no nosso lugar. Nós não criamos nenhum problema para os mais necessitados. Não usamos dinheiro do governo brasileiro. Isso é conversa de gente que não tem o que fazer. Nós não vamos nos preocupar com isso. Seria ótimo se pudéssemos doar mais vacinas para quem precisa”, completou.