Vitinho acorda na hora certa para o Flamengo e bate recorde pessoal

Comentários()
Alexandre Schneider/Getty
O camisa 11 teve, contra o Atlético-MG, a sua noite de maior destaque em toda a sua história no Campeonato Brasileiro

A lesão sofrida por Arrascaeta, que o obrigou a ser operado e pode lhe tirar do segundo jogo da semifinal da Libertadores, contra o Grêmio, levantou temores por parte da torcida flamenguista. Jorge Jesus se viu obrigado a buscar por alternativas para substituir o seu líder de assistências, e uma das principais opções era Vitinho. O meia-atacante, que em 2018 chegou como contratação mais cara na história do clube, teria que fazer o que ainda não havia feito desde então: passar segurança e decidir. Nesta quarta-feira (10), enfim ele deu a resposta.

Vitinho deu as assistências para o primeiro e último gol nos 3 a 1 sobre o Atlético-MG, e fez, ele próprio, o segundo. A vitória, no duelo válido pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, fez o Flamengo abrir oito pontos de vantagem na liderança do certame. Jamais em todas as suas participações no Brasileirão Vitinho havia contribuído tanto para ver seu time estufar as redes. Nem quando, seis anos mais jovem, atuava ao lado de Seedorf no Botafogo, tampouco nas duas temporadas em que vestiu a camisa do Internacional e muito menos nestas duas em que defende o time de seu coração.

Acompanhe o melhor do futebol ao vivo ou quando quiser: assine o DAZN e ganhe um mês grátis para experimentar

A resposta à desconfiança geral começou a ser dada na rodada anterior, quando deu a assistência para Bruno Henrique fazer o gol da vitória sobre a Chapecoense. Dias depois, contudo, veio a sua noite mais inesquecível pelo Flamengo. Dentro de um Maracanã lotado por mais de 60 mil vozes, ajudou a realizar a previsão de um dos torcedores e cobrou escanteio na cabeça de Willian Arão. Jogando pelo contra-ataque, o Atlético conseguiu dar um susto nos donos da casa e, no segundo tempo, igualou graças a um belo gol de Nathan. Em meio ao frio na barriga, foi quando o camisa 11 cresceu: a perícia na finalização, tão conhecida em sua carreira e menos recorrente em sua vida flamenguista, voltou a aparecer.

Aos 61 minutos, Vitinho arriscou de fora da área com estilo: 2 a 1, explosão misturada de alegria e um alívio que ficaria ainda maior aos 76’, quando o jogador desta vez serviu o jovem Reinier. Justamente quando o Flamengo começou a precisar mais de Vitinho, por causa da lesão de Arrascaeta, o carioca criado no Complexo do Alemão entregou. Somando as últimas duas partidas, participou diretamente de quatro gols (fez um e assistiu três). Para efeito de comparação, apenas contra Chapecoense e Atlético ele já atingiu metade do que conseguiu em 22 jogos no Brasileirão anterior - onde participou diretamente de oito tentos, divididos em três gols e cinco assistências.

Mais artigos abaixo

Substituído aos 84 minutos, deixou o gramado ovacionado como jamais havia sido no Flamengo. Ele também nunca havia contribuído para que um time seu fizesse tantos gols em uma noite de Série A. Ganhou confiança e espera aproveitar as oportunidades que terá enquanto Arrascaeta, titular, estiver se recuperando.

“O importante era dar o nível de jogo que a equipe está tendo e manter este ritmo para a gente conseguir as vitórias. Este era o meu objetivo”, disse para o Premiere FC após o apito final.

Quem agradece, é o Flamengo.

Fechar