Notícias Placares ao vivo
Flamengo

Valor que Arão, do Flamengo, vai pagar ao Botafogo cobre quase dois meses de salário

16:56 BRT 16/10/2019
Willian Arão Flamengo Atlético-MG Brasileirão 11 10 2019
O Alvinegro não ganhou a causa no TST, mas receberá valor de indenização do meio-campista, atual destaque no time de Jorge Jesus

Após quatro anos, o caso envolvendo Willian Arão, Botafogo e Flamengo, finalmente está resolvido. Nesta quarta-feira (16), a 4ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) definiu que o Alvinegro não tem direito aos R$ 20 milhões que pedia, referentes à multa rescisória do jogador. Apesar da derrota, o TST considerou que o atleta deve R$ 4 milhões ao antigo clube, em indenização de perdas e ganhos.

Acompanhe o melhor do futebol ao vivo ou quando quiser: assine o DAZN e ganhe um mês grátis para experimentar

Willian Arão foi jogador do Botafogo em 2015, sendo peça importante no time que foi campeão brasileiro da Série B e levaria o Glorioso de volta à elite. O bom desempenho apresentado com a Estrela Solitária ao peito atraiu o interesse do Rubro-Negro, que apesar de naquela época já viver em excelente situação financeira não precisou gastar nada para contratar o meio-campista. Mas foi exatamente a questão contratual que levantou toda a polêmica.

Entenda o Caso Arão

Arão foi um dos destaques do Bota em 2015 (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Willian Arão tinha contrato com o Botafogo até o fim de 2015, sendo que seria renovado automaticamente caso o Alvinegro depositasse uma quantia de R$ 400 mil. Neste caso, o vínculo passaria a ter uma multa rescisória de R$ 20 milhões, com 70% dos direitos econômicos de Arão ficando com o Glorioso e 30% com o atleta.

O clube chegou a depositar, no final de 2015, o valor em juízo em duas ocasiões, sendo que em ambas o meio-campista devolveu a quantia para se transferir de graça para o Flamengo, arquirrival do Bota.

Sem clima para receber de volta o jogador, o Botafogo passou a cobrar na Justiça para receber o valor estipulado na multa rescisória do contrato que acreditava ter feito valer. No entanto a cláusula contratual feria a norma que a Fifa começava a estipular, que impedia que investidores tivessem direitos econômicos sobre o jogador. Desta forma, o Botafogo teve seus direitos cancelados na Justiça.

Valor não é o ideal, mas pode ajudar no momento

Em 2019, Arão vive o seu melhor momento no Flamengo (Foto: Getty Images)

Apesar da derrota, ficou definido que Arão terá que pagar R$ 4 milhões ao ex-clube por perdas e ganhos, desde que receba os R$ 400 mil que estavam estipulados no polêmico contrato. Ou seja, o saldo que fica ao Botafogo será de R$ 3,6 milhões.

Embora esteja longe dos R$ 20 milhões desejados pela diretoria alvinegra, o dinheiro ainda pode ajudar o clube a pagar salários atrasados para seus jogadores – um dos muitos problemas vividos hoje pelo Botafogo.

A falta de pagamentos fez com que jogadores resolvessem não conceder entrevistas coletivas mostrando os patrocinadores do clube. Considerando apenas os valores recebidos na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e sem contar com os direitos de imagem – que também compõem fatia considerável nos vencimentos dos profissionais no futebol – o Botafogo tem uma folha salarial em cerca de R$ 2,5 milhões – o 14º no ranking desta Série A. Com o valor que Willian Arão será obrigado a pagar, ao menos o Alvinegro ganha mais recursos para cumprir com seus compromissos até o final do ano.