Torcedor do Inter prometeu “mala branca” para São Paulo vencer o Flamengo, mas volta atrás

Elusmar Maggi também não poupou críticas à arbitragem de Raphael Claus, que expulsou o lateral-direito colorado, mas nesta segunda-feira (22) se retra

O pecuarista Elusmar Maggi ficou famoso nas conversas de futebol nesta semana, ao ter doado para o Internacional o valor de R$ 1 milhão necessário para a escalação de Rodinei, lateral-direito emprestado pelo Flamengo ao Inter, no duelo decisivo entre os clubes na penúltima rodada do Brasileirão. O Rubro-Negro venceu os gaúchos de virada, por 2 a 1, em duelo marcado pela polêmica expulsão justamente de Rodinei. Arrascaeta e Gabigol marcaram para o Fla depois de Edenílson, de pênalti, ter aberto o marcador.

Com a vitória, o Flamengo ultrapassou o Inter na ponta da tabela e está com uma mão na taça de campeão. Para acabar com o longo jejum sem conquistas no Brasileirão, o Colorado precisa vencer o Corinthians na última rodada e torcer para os cariocas não vencerem o São Paulo dentro do Morumbi – todos os jogos estão marcados para esta quinta-feira (25).

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Revoltado com a atuação da arbitragem na derrota dentro do Maracanã, Elusmar garantiu em entrevista à Zero Hora que tem a intenção de doar dinheiro para o São Paulo, de forma a estimular ainda mais os paulistas a vencerem os rubro-negros (prática que no meio do futebol é apelidado como “mala branca”).

“Foi uma vergonha, o lance do Rodinei foi uma vergonha. Na quinta, vamos ser campeões”, disse o torcedor colorado. “Vou injetar dinheiro no São Paulo para a gente ser campeão. Vou estudar com a minha parte jurídica como proceder amanhã (segunda-feira, 22). Vai ser 1 a 0 para a gente contra o Corinthians”, completou Elusmar.

Arrependimento e "cabeça quente"

Na segunda-feira (22), contudo, Elusmar Maggi divulgou nota na qual garante que não vai fazer o pagamento ao São Paulo e explica que estava "de cabeça quente" quando prometeu a mala-branca ao Tricolor.

"Como qualquer colorado, fui impactado pela partida de domingo no Maracanã. O amor pelo clube me moveu a fazer uma doação espontânea com intuito de ajudar, de fazer a minha parte na busca pelo título. Depois de tudo que aconteceu, com o lamentável erro do árbitro e do VAR, e a derrota que deixa o título mais difícil agora, me manifestei sem pensar. Envolto em emoção, afirmei que poderia participar da última rodada com aporte financeiro ao São Paulo, algo que considero equivocado. Sei que não é ético, aceitável, nem necessário este tipo de coisa, já que o São Paulo, como grande clube que é, não precisaria de qualquer incentivo para tentar a vitória. Peço desculpas pelas palavras ditas "no calor do momento" e reitero que jamais falei em nome do Inter. Reforço que não vou fazer qualquer movimento nesta última rodada, deixando o protagonismo todo para quem sempre deve tê-lo: os jogadores. Vamos, Inter! Estaremos sempre contigo!", escreveu o empresário.

Fechar