Sem Neymar e Mbappé, é Di Maria quem deve carregar o PSG na Champions

Argentino será o grande nome do time francês na linha de frente contra o RB Leipzig, nesta quarta-feira (4)

Com as ausências já certas de Neymar e Mauro Icardi, a notícia do desfalque que Kylian Mbappé foi um choque no PSG, que fica sem seus principais atacantes para o jogo contra o RB Leipzig, nesta quarta, 4 de novembro. Mais do que nunca, o peso do ataque parisiense cai sobre os ombros de Ángel di María.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Titular nas duas partidas anteriores do PSG na Liga dos Campeões (na derrota para Manchester United e na vitória contra o Basaksehir), o argentino mais uma vez ganha chance entre os onze iniciais. Será dele a responsabilidade de criação de jogadas ofensivas, embora Thomas Tuchel afirme que o camisa 11 não está na melhor forma física.

"Angel [Di María] continua a ser um jogador-chave, mas falta-lhe ritmo. Não se deve esperar muito dele, está quatro jogos castigado. Precisa de ritmo, gosta muito de jogar para ganhar confiança no drible e na finalização. Só jogou a Liga dos Campeões por nós e eu não não quero colocar toda a pressão sobre ele, embora ele ainda seja um jogador muito importante", afirmou o alemão.

Boas lembranças de Lisboa?

Di Maria celebrating Leipzig PSG Foto: Getty Images

Na reta final da última Liga dos Campeões, disputada em Lisboa, PSG e RB Leipzig se enfrentaram na semifinal da competição e o argentino acabou com o jogo. Um gol e uma assistência na conta de Di María na vitória por 3 a 0, garantindo o time francês na final inédita.

Mais artigos abaixo

Naquela oportunidade, Neymar e Mbappé estiveram em campo com Di María. Desta vez, os parceiros de ataque devem ser Moise Kean e Pablo Sarabia. Um trio de ataque que não pode vacilar e tem que garantir a vitória para o time francês se manter com boas chances de classsificação na competição europeia.

Em caso de derrota, o PSG ficaria em uma situação delicada, com apenas três pontos conquistados em um grupo dominado pelo Manchester United. Um cenário que a equipe parisiense, mesmo sem suas principais estrelas, não pretende considerar.

Fechar