Notícias Placares ao vivo
São Paulo

São Paulo sofre com ineficiência dentro da área; Pablo marcou seu único gol de média distância

20:00 BRST 10/02/2020
Pablo Frankfurt São Paulo Florida Cup 10012019
Tricolor tem pior aproveitamento dentro da área de todos os times da Paulistão, mesmo criando alto número de chances, veja números e comparações

Ao término da quinta rodada do Campeonato Paulista, o São Paulo é, de longe, a equipe que mais finalizou, dentre os 16 times do torneio. Não só isso: é o que mais acertou o alvo e tem o quarto melhor aproveitamento de chutes. Então, qual é a razão do baixo número de gols da equipe Tricolor? Seria só azar? Ou existe algum número que pode explicar melhor estes dados?

Quer acompanhar o melhor do futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN com um mês grátis!

Todos os números mostram que o São Paulo deveria marcar mais gols: o Tricolor tem o terceiro melhor aproveitamento em cruzamentos, acerta, em média, 15 passes que resultam em finalizações por jogo (contra 12.2 do Palmeiras, segundo colocado), tem quase 78% de sucesso em dribles, é o terceiro time com maior aproveitamento em lançamentos...

Na verdade, só uma estatística do São Paulo não está entre as melhores do campeonato: o clube está "na média" quando falamos de gols feitos. Ou seja: o número mais importante do futebol.

Então, utilizando a vasta base de dados da Opta, fomos procurar dados que pudessem explicar porque o São Paulo marca menos gols do que deveria, de acordo com sua produção ofensiva.

Dos seis gols que o São Paulo marcou no Campeonato Paulista até o momento, só três deles foram marcados dentro da área do adversário. Equipes como a Ferroviária e o Corinthians, ambas com oito tentos na competição, marcaram todos dentro da área. Mirassol e Palmeiras, as duas equipes que mais balançaram as redes no campeonato, chegam a 90% nesta marca. Ou seja: o Tricolor não consegue marcar gols quando chega perto da meta adversária.

Isso não significa que o São Paulo finaliza menos ao gol dentro da área: com 54 finalizações perto do gol adversário, a equipe é a que mais chuta ou cabeceia nesta ocasião. O problema é que o Tricolor tem um aproveitamento abaixo da média.

Dentre os dez jogadores que mais finalizam dentro da área, três são do São Paulo. Dois deles tem os piores aproveitamentos em finalizações que acertam o alvo. Apenas 28% dos chutes e cabeceio de Pablo, principal centroavante da equipe, vão na direção do gol. Para Vitor Bueno, este dado não é muito maior: o meia só tem 37%.

Para efeitos de comparação, Mauro Boselli, do Corinthians, acerta quase 85% das finalizações na direção do gol, quando está dentro da área. Confira uma tabela que inclui os seis maiores artilheiros do campeonato, os dez jogadores que mais finalizaram a gol dentro da área e os três maiores finalizadores do São Paulo:

JOGADOR CLUBE FINALIZAÇÕES TOTAIS E CORRETAS DENTRO DA ÁREA APROVEITAMENTO GOLS
Pablo São Paulo 14 (4) 28,6% 1
Júnior Todinho Guarani 11 (7) 63,6% 3
Willian Palmeiras 11 (5) 45,5% 5
Camilo Mirassol 9 (7) 77,8% 4
Hernanes São Paulo 9 (6) 66,7% 1
Felipe Ferreira Ferroviária 9 (5) 55,6% 4
Vitor Bueno São Paulo 8 (3) 37,5% 0
Boselli Corinthians 7 (6) 85,7% 4
Ytalo Red Bull Bragantino 7 (4) 55,6% 2
Roger Ponte Preta 7 (4) 55,6% 2
João Paulo Oeste 7 (3) 42,9% 2
Rafael Costa Guarani 6 (4) 66,7% 3

Juntos, os três jogadores do São Paulo tem dois gols, mesmo número de João Paulo, do Oeste, atleta que tem o pior aproveitamento, dos que não jogam no Tricolor. Ou seja: quando a equipe comandada por Fernando Diniz consegue chegar dentro da área (e consegue chegar com frequência, basta ver os números), os jogadores nem acertam o alvo.

Isto não é uma formula mágica para fazer gol, mas é uma receita interessante: obviamente, quanto melhor o seu aproveitamento de finalizações no alvo dentro da área, mais tentos você vai marcar, ainda mais considerando que, nesta edição do Paulistão, os times que mais balançam as redes fazem mais 90% dos seus gols dentro da área.

No Fluminense, em 2019? Não foi o caso. O time carioca não estava entre os clubes que menos marcaram gols no Brasileirão, mesmo tendo um elenco que não era dos melhores. No momento da demissão de Diniz, o Fluzão era o sexto time com mais gols na competição, ironicamente, empatado com o São Paulo.

Para ilustrar a comparação, separamos os números dos vários atacantes do Flu na era Fernando Diniz, e os comparamos com as estatísticas dos finalizadores do São Paulo neste começo de ano (min. 10 chutes):

JOGADOR TIME FINALIZAÇÕES PORCENTAGEM DE FINALIZAÇÕES QUE VIRARAM GOL
Yony González Fluminense 46 8.7%
Pedro Fluminense 27 18.52%
Pablo São Paulo 27 3.7%
João Pedro Fluminense 22 13.64%
Daniel Alves São Paulo 17 11.76%
Hernanes São Paulo 15 6.67%
Vitor Bueno São Paulo 12 0%
Brenner Fluminense 7 0%

Com o mesmo de finalizações, Pedro fez quatro gols a mais do que Pablo, que marcou seu único fora da área. Daniel Alves, o jogador do São Paulo que teve melhor aproveitamento no ano, é justamente o único que tentou a maioria das finalizações de fora da área.

Ou seja: o São Paulo cria, seja pelo alto, ou trocando passes. No entanto, na hora de colocar a bola na rede, algo está faltando. O torcedor pode lembrar de inúmeros gols perdidos, e não é por acaso: os principais atacantes do Tricolor não estão correspondendo dentro da área. 

Os atacantes do São Paulo terão a próxima chance de espantar a má fase neste próximo sábado: o time enfrenta o Corinthians, no Morumbi, às 19h (de Brasília). Caso vença o clássico, o Tricolor deve finalmente ter um respiro, para que Fernando Diniz possa ter mais tempo para tentar corrigir o crônico problema das finalizações.