Casal e coração: os ídolos compartilhados por Atlético-PR e Fluminense

Comentários()
Washington “Coração Valente” e o Casal 20 estão nas melhores lembranças de ambos os clubes

Atlético-PR e Fluminense se enfrentam nesta quarta-feira (07), em jogo de ida válido pela semifinal da Copa Sul-Americana, na Arena da Baixada. Adversários no sonho por um título internacional inédito, Furacão e Tricolor também possuem uma rivalidade construída ao longo de partidas históricas que vão desde o rebaixamento dos cariocas no Brasileirão de 1996 até o título da Primeira Liga 20 anos depois. Mas há também o que os une apesar de tantas diferenças.

Afinal de contas, Atlético-PR e Fluminense compartilham três grandes ídolos em comum. Jogadores decisivos que estão na história de ambas as instituições graças a momentos tão gloriosos quanto inesquecíveis: Washington e Assis, ídolos que formaram a dupla de ataque dos anos 80 eternizada pelo apelido Casal 20, e Washington “Coração Valente”. Cada um deles possui marcas importantes tanto em rubro-negro quanto em tricolor.

CASAL 20

Washington Assis Fluminense 06 11 2018Eternizados na história (Foto: Divulgação/Fluminense)

Em 1983, o Atlético-PR fez a sua primeira grande campanha em Campeonatos Brasileiros e os dois grandes destaques eram Washington e Assis. Juntos, eles ajudaram o Furacão a chegar até as semifinais, onde venderam muito caro a eliminação para o Flamengo, que viria a ser o campeão nacional em maio. Ainda naquele ano, o “Casal 20”, como já eram chamados desde a parceria no Paraná, teria a revanche na decisão do Campeonato Carioca. Assis, artilheiro naquela conquista (11 gols), fez o gol do título justamente sobre o Flamengo.

No ano seguinte, Assis repetiu o feito de carrasco do Fla em outra conquista estadual e foi, ao lado de Washington, artilheiro na conquista do Brasileirão de 1984 – ambos com nove tentos cada. Em 1985, foi a vez de Washington brilhar como goleador (7 gols) também na conquista do Tri estadual. A parceria terminaria dentro de campo apenas em 1987, quando Assis retornou para o Atlético – onde em 1982 já havia sido campeão estadual ao lado de seu grande companheiro de tabelas.

Quis o destino que ambos se despedissem deste plano no mesmo ano: em 2014, Washington faleceu em 24 de maio e Assis nos deixou dois meses depois. Entretanto, seguem eternos na memória de quem vibrou com seus feitos ou escutou as histórias do passado.

O CORAÇÃO VALENTE

Washington Fluminense 2008(Foto: Getty Images)

A virada do Século foi inesquecível para o Atlético-PR, campeão brasileiro em 2001. Mas foi três anos depois, em 2004, que o Furacão viu um jogador quebrar os recordes de redes balançando em uma única temporada de Série A no clube: Washington, o “Coração Valente”, fez 34 gols na campanha que terminaria no vice-campeonato.

Depois de três anos no futebol japonês, Washington chegou ao Fluminense e, em sua primeira temporada, 2008, ajudou o Tricolor a ser vice-campeão em uma campanha inesquecível na Libertadores da América. No Brasileirão, naquele mesmo ano, balançou as redes 21 vezes (apenas Fred, com 22 tentos em 2011, balançou mais as redes em uma única campanha).

Após uma passagem pelo São Paulo, Washington retornou ao Fluminense e, em sua entrevista de apresentação disse a frase que ficaria na história: “vim para ser campeão brasileiro”. Após 32 jogos (27 como titular) e oito gols, aos 35 anos, o Coração Valente enfim levantou o tão sonhado título brasileiro.

Grandes personagens unem os times que disputam a vaga na grande decisão continental.

Próximo artigo:
Ligue 1 2018/19: artilheiros, garçons e classificação completa
Próximo artigo:
Quantos gols Neymar marcou na carreira?
Próximo artigo:
Copa América 2019: quando é, seleções participantes e quais estádios irão sediar o torneio?
Próximo artigo:
Jornal espanhol diz que Filipe Luis pode se despedir do Atlético de Madrid
Próximo artigo:
Mundial de Clubes 2018: país-sede, times, partidas e todas as informações
Fechar