O 'intruso' que virou líder: como Bruno Henrique ganhou seu espaço no Palmeiras

Bruno Henrique - Palmeiras x Paraná - 29/07/2018
Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Antes identificado com o rival Corinthians, volante chega a 100 jogos pelo Verdão como um dos pilares do time de Felipão

Prestes a completar o seu 100º jogo vestindo a camisa do Palmeiras, Bruno Henrique vive o maior momento de sua carreira e dentro do clube Alviverde pelo segundo ano.

Mesmo sem ainda ter marcado gols em 2019, o meio-campista é uma peça fundamental do plantel de Luiz Felipe Scolari, que confiou no trabalho do ex-jogador do Corinthians, contratado na metade de 2017, e contribuiu para a ascensão do camisa 19 dentro do time após a saída de Roger Machado.

Dono da braçadeira de capitão no ano passado, Bruno superou muitas críticas duvidosas a seu respeito, e mostrou a sua importância dentro de campo. O resultado foi reconhecido, já que ele faturou os prêmios Bola de Prata, Troféu Mesa Redonda e Craque do Brasileirão de 2018.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Gratidão 🙏🙏🖊🖊🐷🐷

Uma publicação compartilhada por Bruno Henrique (@brunohenrique.25) em

Bruno foi contratado do Palermo, da Itália, por R$ 3,5 milhões, um investimento que torceu o nariz de muitos torcedores por conta de sua passagem anterior pelo maior rival. Entretanto, o que parecia ter sido um nome sem muito peso para o elenco passou a ser uma das peças principais do time.

Sua atuação, que vai além da organização de jogo e mostra até um lado artilheiro,  com 16 gols marcados, fez chamar a atenção de clubes do exterior, como o Tianjin Teda, da China, que fez uma proposta muito vantajosa para ter o volante (R$ 25 milhões de multa rescisória e salário de R$ 1,7 milhão).

Entretanto, em fevereiro deste ano, o jogador anunciou que renovaria seu contrato com o Palmeiras, e que recusou a proposta do time chinês. Tudo para fazer parte do “grandioso projeto" do clube alviverde, que lhe abriu as portas e o acolheu há quase dois anos.

GFX Bruno Henrique

Toda a superação em sua trajetória no Verdão também passa muito pelo trabalho de Roger Machado: antes de ser demitido, o técnico gaúcho concedeu a braçadeira de capitão ao volante por cinco partidas seguidas, incluindo contra o Atlético-MG, em julho de 2018, quando Bruno marcou dois gols.

A invencibilidade da equipe em 2018 teve uma grande participação de seu capitão, que, não à toa, mereceu erguer o troféu do décimo título Brasileiro do Verdão no Allianz Parque.

Se entrar em campo neste sábado (6), Bruno Henrique completará uma centena de jogos com a camisa do Verdão, o time que, indiscutivelmente, confirmou todo o seu talento ao futebol brasileiro. O confronto da semifinal do Paulistão entre Palmeiras e São Paulo, no Allianz Parque, começa às 16h (de Brasília).

Fechar