Na seleção sem Neymar, Everton Ribeiro passa confiança com a camisa 10

Everton Ribeiro Brasil Uruguai Eliminatórias 17 11 2020
Lucas Figueiredo/CBF
Meia do Flamengo assume a responsabilidade nas eliminatórias e mostra um Brasil que também funciona sem o astro do PSG

Em uma seleção brasileira sem Neymar, recaiu sobre Everton Ribeiro a responsabilidade de vestir a camisa 10 e liderar a armação de jogadas do time dirigido por Tite. Para a surpresa de muitos, o meia do Flamengo parece não ter sentido o peso da amarelinha.

Mesmo com os números revelando uma seleção enfraquecida sem a presença do astro do PSG, as últimas rodadas das eliminatórias mostraram um Everton Ribeiro protagonista e ativo, capaz de suprir a ausência de Neymar em campo.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Na vitória desta terça (17) por 2x0 contra o Uruguai, Everton foi mais uma vez importante no desempenho da seleção, ditando o ritmo do ataque formado por Richarlison, Roberto Firmino e Gabriel Jesus.

Jogando aberto em um 4-4-2, mudança inicial feita por Tite após minutos em um 4-1-4-1, o 10 pôde ser visto caindo constantemente para o lado direito, tramando jogadas com Gabriel Jesus e também caindo para o meio. Uma delas terminou no primeiro gol da seleção, em chute de Arthur que contou com desvio da zaga.

O posicionamento e movimentação de Everton lembram muito seu papel executado no Flamengo de Jorge Jesus, e serve de base para Tite na escalação do meia nesta região do campo. Em duas partidas como titular, o flamenguista provou que tem os atributos para ocupar uma vaga na seleção, já em suas primeiras partidas como titular pela equipe nacional.

Mais artigos abaixo

Com quatro partidas disputadas pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, o Brasil só tem o que comemorar. Até aqui são 100% de aproveitamento, com 12 gols marcados e apenas dois sofridos. A Argentina de Lionel Messi segue na segunda colocação.

A próxima rodada acontece só em março de 2021, com duas pedreiras – Colômbia fora de casa e Argentina no Maracanã.


Fechar