Maradona no Brasil? Quando Diego ficou perto de jogar na terra de Pelé

Comentários()
Palmeiras, Santos e até a Portuguesa foram times que contrataram o ídolo argentino

Diego Maradona é um dos maiores da história do futebol. Deus na Argentina e em Nápoles, lugares onde é adorado tanto por suas virtudes quanto por seus defeitos. Vira e mexe surgem histórias de que o camisa 10 poderia ter jogado no Brasil. Vamos relembrar o que existe de verdade nas lendas sobre o astro que nos deixou neste 25 de novembro de 2020.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

A história mais antiga envolve a Portuguesa, e Maradona no Canindé foi uma possibilidade ainda no começo da carreira do astro. Aconteceu no início dos anos 80, segundo revelado pelo empresário uruguaio Juan Figer em entrevista à ESPN. O Argentinos Juniors precisava de dinheiro e queria vender a jovem estrela.

Figer tinha boa relação com Manuel Gregório, então presidente da Lusa, e o jovem foi oferecido por um valor de 300 mil dólares, algo em torno de cinco milhões e 300 mil reais atualmente. A Portuguesa, entretanto, não tinha como custear a negociação, e Maradona tornou-se jogador do Boca Juniors.

A segunda oportunidade foi com Diego já estabelecido no futebol. O astro estava de saída do Napoli após suspensão de 15 meses por uso de cocaína, e mesmo a situação arriscada atraiu interessados. O Palmeiras vivia o começo da parceria com a Parmalat e tinha em Maradona uma possibilidade de ter a primeira estrela da nova era.

A situação ocorreu em 1992, e até José Carlos Brunoro, o diretor de esportes que gerenciava a relação entre empresa de laticinios e o clube alviverde, admitiu o interesse no argentino. A coisa, porém, não foi para a frente, e o Sevilla foi o escolhido pelo craque. Um ano antes, o Flamengo também cogitou contratá-lo, sem sucesso.

Maradona ficou uma temporada na Espanha e retornou à Argentina para jogar no Newell's Old Boys. Em 1994, nova suspensão por doping, desta vez por efedrina em plena Copa do Mundo. Ao fim dos 15 meses de gancho, o Santos surgiu como um destino, fato admitido até pelo próprio clube paulista.

A possibilidade de ter Diego vestindo a camisa 10 que foi de Pelé era única e contava com a aprovação do próprio Rei. A negociação foi intermediada pela Pelé Sports & Marketing, mas não andou, e Maradona voltaria ao Boca Juniors para encerrar a carreira profissional.

Mais artigos abaixo

O Santos até retomou as conversas em 1998, quando o já aposentado argentino visitou a Vila Belmiro, mas a situação não foi para a frente. Maradona seguiu como o símbolo de uma geração que levou a Argentina ao topo e assombrou os brasileiros, mas sem nunca defender um time daqui.

O craque argentino até chegou a enfrentar poucos times brasileiros. O São Paulo foi um deles e Maradona jogou contra o Tricolor duaz vezes, em dois amistosos. O primeiro em 1987, antes da ida de Careca para o Napoli, e o segundo em 1993, quando o Sevilla de Maradona e Diego Simeone veio ao Morumbi e enfrentou os donos da casa comandados por Telê Santana e Raí.

Fechar