Maior adversário do Liverpool na Premier League é si próprio

Comentários()
Getty Images
Apesar do desempenho espetacular do City, os Reds ainda dependem apenas de si para acabar com o jejum... e chutar para longe o ‘azar histórico'

Header Tauan Ambrosio

O Liverpool mostrou a sua força como candidato ao título inglês especialmente em dezembro de 2018, quando retomou a primeira posição da Premier League e superou o período difícil e intenso do Boxing Day. As rodadas de final de ano costumam marcar um ‘antes e depois’ na briga pelo troféu e a equipe treinada por Jurgen Klopp dava pinta de que enfim acabaria com o jejum de 29 anos sem títulos da primeira divisão.

Considerando a era Premier League, apenas duas vezes o time que liderava a competição no Natal não terminou com o título: justamente o Liverpool, em 2008-09 e 2013-14. Por isso, acabar com o jejum não seria apenas voltar a sentir um sabor inédito desde que a antiga primeira divisão transformou-se em uma das ligas mais lucráveis do mundo: representaria bicar para longe uma sensação de que a sorte sempre falha com os Reds na Inglaterra desde o triunfo em 1990.

O primeiro grande baque psicológico que remeteu a este aparente vício do destino aconteceu na 21ª rodada. Se batesse o Manchester City no Etihad Stadium, os Reds deixariam um espaço de dez pontos em relação ao seu principal perseguidor. Um empate deixaria a diferença em consideráveis seis pontos, mas em um jogo absolutamente emocionante quem levou a melhor foi a equipe de Guardiola. Naquela vitória por 2 a 1, a falta de sorte voltou a aprontar das suas para os vermelhos.

Quando o placar ainda estava zerado, o zagueiro do City, John Stones, evitou um gol que não aconteceu apenas por milímetros. Com o resultado definido, em meio aos elogios à exibição do Liverpool foi impossível não relembrar o escorregão de Steven Gerrard, que marcou a derrocada nas rodadas finais da campanha 2013-14. O peso psicológico não estava apenas nos 2 a 1 sofridos contra o time de Guardiola, esteve até de forma mais pesada nos 11,7 milímetros que impediram aquele gol.

 Steven Gerrard Liverpool  Chelsea Premier League 04272014 O ídolo Gerrard e o escorregão que ajudou a decidir o título em 2014 (Foto: Getty Images)

Após a derrota surpreendente do City para o Newcastle, na 24ª rodada, o Liverpool tinha a chance de novamente se distanciar dos azuis de Manchester. Não foi o que aconteceu. Empates seguidos contra Leicester e West Ham, aliado a uma vitória dos Citizens sobre o Everton em jogo antecipado, tirou os Reds da liderança.  Neste domingo (24), os comandados de Klopp terão um duelo gigantesco para retomarem de vez a liderança: clássico contra o Manchester United, dentro de Old Trafford.

Um empate já será o bastante para ultrapassar o City de Guardiola, que tem os mesmos 65 pontos com uma partida a mais e leva a melhor no saldo de gols. Se voltar com um ponto na bagagem, no maior clássico da Inglaterra, ótimo. Se conseguir vencer, melhor ainda. O último triunfo dos Reds em Old Trafford foi um 3 a 0 pela 30ª rodada da temporada 2013-14. Justamente uma das marcadas por escorregões inesperados.

O Liverpool só depende de si para sair da fila de títulos ingleses. O maior adversário da equipe treinada por Klopp é si próprio e os nervos que estarão presentes jogo a jogo nesta corrida emocionante pela taça.

Fechar