Gabigol cita virada contra o River para acreditar no Brasileirão e questiona torcida: vai desistir?

Atacante ressaltou que relação com Rogério Ceni e disse que nenhum jogador gosta de ficar no banco

Um dos principais jogadores do Flamengo e um dos mais polêmicos do futebol brasileiro também, Gabigol concedeu entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (15), no Ninho do Urubu. O camisa 9 ressaltou que não gosta de ficar no banco de reservas, mas negou qualquer tipo de problema com Rogério Ceni. 

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

"Sou espontâneo. Não, eu estava no banco, obvio que não gosto, qual jogador que gosta? Mas também respeito meus companheiros, respeito quem entrou. Vi que falaram muitas besteiras, que eu não estava com a camisa, contra o Fortaleza eu tava com a mesma camisa entrei e fiz o gol. Falaram que nem treinei, mas nem teve treino dos reservas. A relação é muito boa (com Ceni). Com Dome falaram que briguei com ele no vestiário, a minha relação com ele era muito boa, com o Jesus e agora com o Ceni, tenho aprendido muito com ele. Ele é experiente, está aqui de corpo e alma, estamos juntos com ele".

Gabigol também citou o título da Libertadores, diante do River Plate e a virada do Flamengo para ressaltar que acredita na conquista do Brasileirão. 

"Como um grupo que venceu tudo dois anos atrás esse ano não pode vencer? Um time que brigou pela Libertadores e virou em 3 minutos vai desistir fazendo 10 jogos? A torcida vai desistir?". 

Abaixo, confira outros trechos da coletiva: 

Racha no elenco: 

Não existe isso, um grupo de 27, 30, aqui no CT tem sei la umas 50 pessoas que trabalham aqui, ter afinidade com mais pessoas é normal. Mas em 2019 não tinha panela e agora tem? É uma loucura. Do grupo que foi campeão não estão 2, não tem porque ter panela. 

Dupla com Bruno Henrique:

"Acho que como a gente tambem joga muito tempo junto é obvio que as defesas se ligam na nossa movimentação, então normal que a gente seja bem marcado. A gente têm treinado muito com o Rogério, tentado se aproximar mais. Os números provam que damos resultado. Estamos fazendo de tudo para se aproximar mais dentro de campo, não só da gente como também dos outros jogadores". 

Mais artigos abaixo

Protesto no CT:

Se me perguntar se acho certo, não. Não acho certo. Eles vieram aqui, não foi algo tão pacífico porque fiquei sabendo que amassaram o carro de uns jogadores aí. Mas a cobrança em rede social, estádio, quando vem aqui numa boa sim, eles tem razao. 

Fechar