Elogiado por Raí, Jardine jogou com Ronaldinho no Grêmio e quase trouxe Arthur para o São Paulo

Comentários()
Rubens Chiri/São Paulo/Divulgação
Diretor executivo de futebol não descartou efetivar auxiliar no cargo para a próxima temporada

Responsáveis pela decisão de demitir Diego Aguirre, o presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e o diretor executivo de futebol do clube, Raí, não escondem que André Jardine, escolhido para comandar a equipe nos últimos cinco jogos do Campeonato Brasileiro, é também o nome preferido dos dois para prosseguir no cargo na próxima temporada.

Caso o desempenho e os resultados sejam ao menos razoáveis nessa reta final de temporada, a tendência é a de que o auxiliar fixo da comissão técnica do Tricolor seja efetivado no cargo.

André Jardine São Paulo 2016
(Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC/Divulgação)

“Não está descartado ele ser efetivado. E vai continuar fazendo parte de uma comissão permanente”, afirmou Raí em coletiva na última segunda (12), no CT da Barra Funda.

Natural de Porto Alegre, Jardine chegou a atuar nas categorias de base do Grêmio junto com Ronaldinho Gaúcho, mas não se profissionalizou. Após um período longe do futebol, resolveu fazer faculdade de educação física e iniciou sua carreira na base do Internacional, onde ficou de 2003 a 2013 e conquistou 31 títulos. Depois trabalhou no Grêmio por mais dois anos até ir para no São Paulo.

Desde 2015 no clube do Morumbi, o técnico de 39 anos enfileirou mais uma série de títulos (bicampeonato da Copa do Brasil, bicampeonato da Copas RS, Copa Ouro, Libertadores da América e Paulista) e ganhou destaque pelo bom trabalho com as jovens promessas de Cotia. Foi ele, por exemplo, o responsável pelas promoções de Liziero, Helinho e Antony. E por muito pouco também não acabou colocando Arthur, hoje no Barcelona, no time principal do São Paulo.

André Jardine - São Paulo

(Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC/Divulgação)

Jardine trabalhou com Arthur nas categorias de base do Grêmio e ajudou a lapidar o jovem. Quando já estava comandando o sub-20 do São Paulo, sabendo que o volante estava sem espaço no clube gaúcho, o indicou ao clube do Morumbi. Por pouco o jogador não foi envolvido na negociação que terminou com a transferência de Maicon para o time gaúcho.

Arthur não veio para o São Paulo, fez sucesso no Grêmio, sendo um dos responsáveis pela conquista da Libertadores de 2017 e se transferiu para o Barcelona. Agora, Jardine tentará ter o mesmo sucesso no Tricolor paulista tentando levar a equipe direto para a fase de grupos da próxima edição da competição sul-americana.

Jardine, que já comandou interinamente o time profissional do São Paulo por quatro vezes, agora terá cinco compromissos cruciais para ter continuidade no cargo em 2019. O primeiro deles, será justamente contra o Grêmio, nesta quinta-feira (15), no Morumbi.

Fechar