Diniz já causa impacto em um São Paulo aberto às suas ideias

Comentários()
Rubens Chiri / saopaulofc.net
Vitória sobre o Fortaleza mostrou, como previsto por Volpi, um time em transformação, com Dani Alves decisivo e recorde em passes certos

Entre a sua chegada ao São Paulo, para substituir Cuca, e a estreia, no empate sem gols com o Flamengo dentro do Maracanã, Fernando Diniz havia tido apenas um dia de treinos com o elenco. Um período insuficiente para conseguir passar alguma coisa mais elaborada em relação a modelo de jogo, é claro. Ainda é muito pouco tempo, mas o Tricolor começa a dar pequenas mostras de mudança com o novo técnico – que teve uma semana de atividades antes da 23ª rodada do Brasileirão. Foi algo dito pelo goleiro Tiago Volpi, em sua longa entrevista para a Goal Brasil, e que de fato foi perceptível na vitória por 2 a 1 sobre o Fortaleza, no último sábado (05).

“É muito notório, principalmente porque a gente teve uma semana cheia para trabalhar também. São treinos muito intensos, de uma dinâmica muito grande. Sem sombra de dúvidas que, para este jogo contra o Fortaleza, o torcedor que for ao estádio, que acompanhar pela televisão, vai ter um São Paulo completamente diferente dentro de campo, pela forma, por esta ideia de jogo, pela ordem tática que o Diniz implantou nesta semana de trabalho”, disse Volpi, na véspera do jogo contra o Fortaleza, para a Goal.

Acompanhe o melhor do futebol ao vivo ou quando quiser: assine o DAZN e ganhe um mês grátis para experimentar

A vitória não foi nada fácil, apesar do bom número de oportunidades criadas pelo time (14). Pablo abriu a contagem, aproveitando falta cobrada por Dani Alves, para cabecear, e a impressão era positiva: os donos da casa (que desta vez foi o Pacaembu, por causa do show da banda Iron Maiden no Morumbi) pressionavam a saída de bola dos cearenses, que só encontraram uma chance de empate graças a um pênalti cometido por Reinaldo e convertido por Wellington Paulista. Depois do 1 a 1 no placar, a equipe comandada por Rogério Ceni cresceu em campo, mas as substituições feitas por Diniz ajudaram o São Paulo a somar os três pontos e subir para a quinta posição (39 pts).

Mudança decisiva para a vitória

Igor Gomes Daniel Alves São Paulo Fortaleza Brasileirão 07 10 2019Igor Gomes e Dani Alves comemoram gol (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

No minuto 72, o treinador sacou Juanfran na lateral-direita e colocou Igor Gomes no meio-campo, recuando Daniel Alves – que foi o maestro na organização do time – para o flanco defensivo. A intenção foi dar mais energia ao time no terço final, e foi justamente o que aconteceu. Igor Gomes apareceu dentro da área para concluir, depois que Antony se esforçou para dar uma assistência de carrinho quando a bola já caminhava para a linha de fundo.

Dani Alves, maestria bem usada

A jogada, contudo, começou com a troca de passes na defesa entre Volpi e Dani Alves. O camisa 10 fez um de seus melhores jogos neste Brasileirão: manteve os melhores números em desarmes (3) e chances criadas (4), voltando desta vez também a ser decisivo diretamente em gol. A assistência para Pablo foi a sua primeira. A perícia no passe, contudo, saltou aos olhos: entre lançamentos e tentativas mais curtas, Daniel acertou 90.6% das conexões com seus companheiros – segundo a Opta Sports, um recorde pessoal nesta sua campanha de Brasileirão.

GFX gol São Paulo FortalezaA jogada do segundo gol marcado pelo São Paulo começou com Dani Alves na direita (Foto: Opta)

Se na época de Cuca, Daniel não conseguia decidir como meio-campista ou lateral, no primeiro jogo dentro de casa com Diniz o baiano foi importante onde esteve. Não surpreendeu quando, após a vitória, classificou os estilos dos treinadores como “ideias opostas”.

“O Cuca prezava por marcações individuais, prezava por coisas conceitualmente por parte dele que a equipe conseguia assimilar. Outras não tanto. Acredito que o Diniz veio dar esse "upzinho" (crescimento) no nosso time, de mais posicionamento, mais organização tática, mais personalidade de jogar independentemente da zona ou do lugar. Se planta um pouco da modernidade do futebol”, disse.

Mais artigos abaixo

Equilíbrio e recorde nos passes

Apesar de Volpi ter sido exigido, a defesa são-paulina não facilitou tanto a vida dos adversários na criação de jogadas como vinha acontecendo: o Fortaleza arriscou sete finalizações, o segundo menor número contra o São Paulo no Brasileirão. Mas além da vitória, e do bom entendimento dos jogadores em meio às substituições, Diniz também conseguiu carimbar a sua nova fase da maneira que lhe é mais característica: cuidando bem da bola. O aproveitamento de 89.5% nos passes já é o melhor que o Tricolor do Morumbi teve nesta Série A 2019.

Ainda é pouco tempo, mas os primeiros sinais são interessantes para o time que deseja, ao menos, garantir uma vaga na próxima Libertadores da América.  Com o resultado, conseguiu retornar ao G6 e agora se vê a três pontos de diferença em relação ao G4 – que concede vaga direta à fase de grupos do certame continental.

Fechar