Cristiano Ronaldo: atuação de luxo no adeus à sua pior Champions em 11 anos

Comentários()
O craque tentou, marcou dois gols, mas está eliminado da competição nas oitavas de final, sua pior participação desde o primeiro ano de Real Madrid

Sensação incomum nas quartas de final da Liga dos Campeões: quando a bola rolar, Cristiano Ronaldo será mais um daqueles que estará assistindo às partidas na televisão. O craque quase fez a diferença, mas viu a Juventus esbarrar em algumas limitações e cair para o Lyon, nas oitavas.

Quer ver jogos ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN com um mês grátis!

A derrocada começou em um jogo de ida muito abaixo do esperado: CR7 passou em branco, a Juve não jogou bem e perdeu por 1 a 0. Após a longa paralisação devido à pandemia do Covid-19, na partida de volta, os Les Gones saíram na frente do placar, com Memphis Depay marcando de pênalti logo nos primeiros minutos.

A tarefa parecia muito improvável: fazer três gols na ótima defesa do Lyon. Cristiano Ronaldo, praticamente sozinho no ataque, marcou duas vezes, esteve próximo do terceiro por várias ocasiões e teve grande atuação em Turim... mas não foi suficiente e a equipe italiana está fora da Champions.

Assim, Cristiano sai da Liga dos Campeões tendo feito sua pior competição em quase 11 anos: desde 2009/10 que o jogador não ficava de fora das quartas de final do torneio. Naquela edição, o Real Madrid - que tinha acabado de contratar o português - caiu nas oitavas diante do mesmo Lyon, com gol de Pjanic, seu atual companheiro na Juventus.

Indo para estatísticas individuais, tudo fica ainda mais claro: o craque sai dessa edição da Champions com apenas quatro gols, sua pior marca desde 2008-09, ainda no seu último ano pelo Manchester United, com o detalhe de que aquela equipe dos Red Devils foi finalista e só foi ser parada pelo Barcelona de Pep Guardiola.

Mais artigos abaixo

Dos quatro gols do português na competição, dois foram em finalizações curtas no final da partida - curiosamente, ambos contra o Bayer Leverkusen -, um de pênalti e outro de fora da área, em defesa no mínimo questionável de Anthony Lopes, goleiro do Lyon. Agora, dá adeus a uma Liga dos Campeões mais melancólica do que nunca para o astro.

Talvez na sua primeira atuação digna de Cristiano Ronaldo, o português se viu cercado de jogadores que pouco fizeram no jogo. Paulo Dybala, que poderia mudar esse panorama, entrou, jogou 15 minutos e demonstrou claramente que estava sem condições de jogo. O recado está dado para Sarri e cia: se a Juventus quiser sair da fila na Liga dos Campeões, já até tem suas grande estrelas em CR7 e no argentino, mas eles precisam de ajuda...

Fechar