Notícias Placares ao vivo
Giovanna

Campeã da Libertadores, Crivelari mira Tóquio 2020: "é o meu sonho"

13:25 BRST 08/11/2019
Giovanna Crivelari Corinthians Libertadores Feminina
Autora do primeiro gol do Corinthians na final, a meia-atacante falou sobre o título continental e sobre o sonho de jogar na seleção principal

Giovanna Crivelari está em fase iluminada. Ela não só marcou o gol da vitória do Corinthians no primeiro jogo da final do Paulistão Feminino contra o São Paulo, mas também marcou o gol que abriu o placar da final da Libertadores Feminina. Essa fase tão boa faz a jogadora de 26 anos sonhar cada vez mais alto. Em entrevista exclusiva para a Goal, ela contou qual é a sua meta.

Veja um especial sobre o título do Corinthians no DAZN a partir de 11 de novembro. Acesse o DAZN e ganhe um mês grátis!

"Os Jogos Olímpicos são o meu sonho", disse Crivelari. "É um sonho jogar esse torneio e ir para a seleção principal. Eu já estive na seleção sub-20 e ainda não tive a oportunidade de jogar na principal. Estou fazendo um ótimo trabalho e espero ter uma oportunidade em breve e, quem sabe, estar nos Jogos Olímpicos ano que vem".

O Corinthians está fazendo um ano incrível. O time do técnico Arthur Elias está a 44 jogos invicto e chegou em todas as finais que disputou: ainda joga o segundo jogo do Paulistão, perdeu o Brasileirão nos pênaltis para a Ferroviária mas depois se vingou do time do interior paulista na final da Libertadores, garantindo o segundo título continental em dois anos (o primeiro foi em parceria com o Audax).

Mas a campanha do bicampeonato da América começou de forma turbulenta. O Equador, sede único do torneio, passava por diversos protestos da população contra algumas medidas adotadas pelo governo local. A capital do país chegou a ser transferida de Quito para Guayaquil. Com isso, a Libertadores chegou a ser suspensa antes mesmo da estreia do Corinthians e Crivelari contou como foram esses dias tensos.

"Desde o começo foi bem difícil. A gente chegou com esse clima de tensão nas ruas, essas manifestações. Fomos treinar um dia antes do jogo e chegou no dia seguinte não teve jogo. A gente não conseguiu treinar, não conseguiu sair do hotel, foi bem difícil. Dificultou bastante o nosso trabalho. Queríamos usar o campo, treinar todos os dias e a gente acabou não conseguindo por uns dois ou três dias, só ficamos no hotel utilizando a academia. Foi bem ruim".

Após a retomada da competição, o Alvinegro fez uma boa campanha na fase de grupos, que lhe rendeu o primeiro lugar no Grupo C. No mata-mata, Crivelari foi fundamental. Marcou o primeiro gol do Corinthians nas quartas de final, deu duas assistências na semi e fez o gol na finalíssima.

Titular em quatro das cinco partidas até a final, Arthur Elias optou por deixar a camisa 19 no banco na grande final. Mas ela não escondeu a felicidade ao falar sobre o gol nesta partida tão importante. "Nossa, foi maravilhoso. Fiz um gol muito especial. Sai tensa do banco porque o jogo estava com um clima tenso, muito por conta dos jogos da final do Brasileiro contra a Ferroviária. A bola não entrava, não entrava, mas, graças a Deus, ela depois entrou. Fizemos o primeiro e no fim o segundo e deu tudo certo".

Depois de conseguir estabelecer um recorde de 34 vitórias consecutivas e do título da Libertadores, o Corinthians pode ser campeão paulista com 100% de aproveitamento. Após a vitória por 1 a 0 contra o São Paulo no Morumbi, alvinegras e tricolores voltam a se enfrentar no dia 16, na Arena Corinthians, às 11h.