Em Berlim, alemães esquecem o 7 a 1 e demonstram respeito ao Brasil

Comentários()
Imago
Cidade vive clima de reencontro entre as duas seleções depois da Copa do Mundo de 2014

O 7 a 1 foi sem dúvida alguma um momento histórico no futebol, daqueles que possivelmente só acontecem uma vez na vida. Na ocasião, nem mesmo os alemães acreditavam no estava ocorrendo e ficaram extasiados assim como os brasileiros que estiveram presentes no gramado e nas arquibancadas do Mineirão naquele dia oito de julho de 2014. 

Agora, em um outro momento, em outras circunstâncias, Brasil e Alemanha voltam a se enfrentar, é o primeiro encontro desde o fatídico jogo no mundial do Brasil. Desta vez, no entanto, a Seleção coloca a prova o seu nível de preparação para a Copa da Rússia. 

E apesar da goleada históricia, o 7 a 1 não é um tema muito comentado entre os alemães que demonstraram e demonstram muito respeito ao futebol brasileiro. Percebemos isso nas ruas de Berlin, principalmente ao questionar os germânicos sobre o assunto.

"O que aconteceu na Copa de 2016 foi totalmente atípico. Por mais que a Alemanha fosse a favorita, assim como continua sendo nos dias de hoje, o Brasil nunca teve uma seleção para sofrer sete gols. Os três primeiros gols abalaram muito os brasileiros, que, a meu ver, desistiram da partida depois disso", disse o estudante Hebert Weber, que no entanto, acredita no desejo de vingança por parte dos brasileiros.

GALLERY ONLY Brazil x Germany World Cup 2014 Kroos
(Foto: Getty Images)

"Estou ansioso pelo reencontro de terça-feira, porque, por mais que não admita, o Brasil vai sempre enxergar a Alemanha com o desejo de revanche".

Para Adler Schwarz, ser campeão mundial com uma goleada história sobre o Brasil na bagagem é um sentimento especial, porém, ele também acredita que este feito jamais se repetirá.

"Ser campeão mundial tendo na bagagem uma goleada por 7 a 1 sobre o Brasil é um sentimento especial que vou carregar para sempre. Nada e nem ninguém vai conseguir algo deste tipo outra vez, nem mesmo a própria Alemanha, que segue com uma seleção forte e renovada. O Brasil, aliás, também renovou o time, e pelo percebo uma evolução muito interessante. O novo treinador [Tite] devolveu a verdadeira cara do Brasil, com um futebol ofensivo e vitorioso".

Já a professora Eva Schulze, que relembrou o dia mais feliz de sua vida assistindo futebol, sonha em repetir o placar na partida desta terça-feira(27), em Berlim.

"A goleada de 7 a 1 em cima do Brasil ainda é um sonho, parece que não acordei até hoje. Lembro em detalhes a minha reação a cada gol, certamente foi o dia mais feliz da minha vida assistindo futebol. Quem sabe a gente não repete o mesmo resultado aqui em Berlim, não? Seguimos com uma seleção muito qualificada, principalmente com o surgimento de novos jogadores. Felizmente, a Alemanha tem mantido o alto nível de 2014". 

GALLERY ONLY Brazil x Germany World Cup 2014 Paulinho Neuer
(Foto: Getty Images)

O taxista Fritz Klein apesar de ter comemorado muito, lamentou o fato do Brasil não ter tido poder de reação, para ele, como amante do futebol, um jogo mais disputado teria sido mais interessante. 

"Sempre tive muito respeito pelo Brasil, e vou continuar tendo. Mas sempre que lembro do 7 a 1 tenho vontade de dar risada, porque foi um verdadeiro massacre. Lembro de ter um visto uma Alemanha muito determinada e, do outro lado, um Brasil entregue e sem qualquer tipo força. Para mim, como alemão, foi maravilhoso. Mas, como amante do futebol, admito que gostaria de ter visto um Brasil mais bem preparado e com poder de reação".

No ano passado, em Melbourne, com a Seleção Brasileira, Rafinha, que defende o Bayern de Munique e já está na Alemanha há muitos anos, frisou o respeito dos alemães com o brasileiro e principalmente a recuperação da equipe após o Mundial de 2014.

Mais artigos abaixo
Brazil
(Foto: Getty Images)

"Todos sabem que o Brasil está de cara nova, resgatou a alegria, o bom futebol e, hoje, quando entra para jogar, é favorito. Sabem que o Brasil está de volta, estão acompanhando. Respeito sempre houve, mas agora está mais forte. No Bayern, jogadores de várias seleções do mundo sabem que o Brasil está de volta". 

Neste domingo(25), Ilkay Gundogan, disse, em entrevista coletiva, que o 7 a 1 ficou no passado e colocou a Seleção Brasileira no mesmo nível da Alemanha. 

"Para a gente, isso daí (7 a 1) já passou. Dá para entender que os brasileiros ficaram tristes, mas eles se desenvolveram muito nos últimos anos. Dá para ver hoje um nível bom, não dá para comparar com o time daquele tempo (2014). Por isso, será um amistoso importante na terça. Vamos jogar contra uma equipe do mesmo nível. Eles são favoritos (para a Copa) como a gente. Será mais um teste para ver em que nível nós estamos".

Próximo artigo:
Sorteio da Copa América 2019: onde, quando será e como funciona?
Próximo artigo:
Abidal pressiona De Jong a decidir se vai aceitar a oferta do Barcelona
Próximo artigo:
Liverpool faz história e vira o clube mais lucrativo do mundo
Próximo artigo:
Tottenham: depois de Kane, Dele Alli se lesiona e vira desfalque na Champions
Próximo artigo:
Andrés fala de Arana, Romarinho e diz que Romero enrola para renovar com Corinthians: "Despacito"
Fechar