22 anos de glórias, títulos e críticas: a história de Arsène Wenger no Arsenal

Comentários()
Getty Images
Uma nota oficial do Arsenal lançada nessa sexta (20) confirmou a saída do lendário treinador ao final da temporada

O mundo do futebol foi pego de surpresa, na manhã dessa sexta-feira (20). Arsène Wenger, um dos treinadores mais longevos da história do esporte bretão, confirmou sua saída do Arsenal ao final da temporada após 22 anos no comando do clube.

A história de Wenger no time londrino é cheia de glórias. A sala de troféus do Emirates Stadium sofreu uma drástica mudança, após a chegada do treinador francês. Sob seu comando, os Gunners conquistaram 16 títulos, sendo três canecos de Premier League, incluindo uma conquista invicta em 2003/04, que rendeu o bordão de “Invencíveis” ao time que tinha T. Henry, D. Bergkamp e tantas outras estrelas.

Wenger chegou ao Highbury (antigo estádio do Arsenal) em 1996. Acompanhou a chegada de diversas estrelas (incluindo muitos franceses, que se tornaria marca registrada de seus elencos), esteve lá na demolição do antigo campo e a subseqüente mudança para o Emirates Stadium.

Thierry Henry Arsene Wenger Arsenal

Wenger acompanhou o passo a passo do clube e levou o Arsenal a um outro patamar, fazendo-o ser temido na Inglaterra e na Europa. Não é à toa que o atual presidente do clube londrino afirmou que esse era “um dos dias mais difíceis que eles tiveram no futebol”.

Até o momento, o francês comandou 1228 jogos do Arsenal, com 704 vitórias, 279 empates e 245 derrotas. Isso o faz ter 57,3% de percentual de vitórias. Um número formidável para um clube sem o mesmo potencial de investimento de times como Manchester United, entre outros gigantes.

Arsene Wenger Arsenal FA Cup(Fotos: Getty Images)

Com histórico de não ir bem em competições continentais, Wenger viu seu Arsenal perder a final da Champions League 2005/06 para o Barcelona, com gol de Belletti. Curiosamente, a última tentativa de título que resta ao comandante francês nesta temporada é a Europa League.

Recentemente, Wenger estava caindo em descrédito com a torcida. As eliminações constantes e as temporadas irregulares no campeonato nacional fizeram os fãs pedirem a saída do treinador muitas vezes. Em alguns momentos falou-se até em boicote.

Arsene Wenger | 20042018

A decisão de fazer o anúncio antes do fim da temporada parece ter sido uma boa escolha. Assim, os fãs deixarão as críticas um pouco de lado e conseguirão enxergar em Wenger uma figura única e importante para a consolidação da identidade de um time em cenário internacional.

Fechar