Liverpool e Arsenal se revoltam e deixam VAR sob pressão na Premier League

Comentários()
Reds reclamaram muito do árbitro de vídeo no empate com Everton horas antes de os Gunners também se sentirem prejudicados contra o City

Liverpool e Arsenal ficaram na bronca com o VAR neste sábado. Os Reds, segundo a Goal apurou, vão inclusive cobrar explicações da Premier League após se se sentirem prejudicados por decisões da arbitragem no empate por 2 a 2 com o Everton no Goodison Park.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Dois lances em especial deixaram os comandados de Jürgen Klopp revoltados. Aos 5 minutos do primeiro tempo, o zagueiro Van Dijk dividiu forte com o goleiro Pickford, levou a pior e sentiu o joelho. Ao ouvir do assistente de vídeo que o holandês estava impedido, o juiz Michael Oliver decidiu mandar o jogo seguir.

O Liverpool, porém, acredita que o árbitro deveria ter sido orientado a checar a jogada na tela mesmo assim, por se tratar de uma entrada passível de cartão vermelho. Van Dijk, aliás, não só teve que deixar a partida, como corre o risco de desfalcar os atuais campeões ingleses pelos próximos meses.  

"Perdemos um jogador em uma situação na qual o VAR não foi usado", lamentou Klopp. Peter Walton, ex-árbitro que comentou o dérbi pela BT Sport, concorda com o alemão. "Acredito que foi uma falta dura e que Pickford teve sorte de não ter sido expulso". 

Se houve uma certa omissão na hora de analisar a entrada de Pickford, o VAR foi bastante criterioso quando anulou o gol marcado por Henderson que daria a vitória aos Reds já nos acréscimos do segundo tempo - por um impedimento de Mané no início da jogada.

"No vestiário vi várias pessoas ao redor de um laptop e perguntei o que estava acontecendo. Eles disseram que observaram o lance e não entendem por que apitaram impedimento. Eu sou um verdadeiro apoiador do VAR, mas espero que, especialmente quanto ao impedimento, tomem a decisão certa", afirmou Klopp.

"Uma vez ,marcamos um gol no Aston Villa e eles disseram que a axila do jogador estava à frente. Isso parece engraçado, e entendemos. Desta vez, na imagem que eu vi, não há axila, não há nada, apenas não há impedimento. Desde então, eu dei dez entrevistas por aí e todo mundo me disse que não estava impedido. É claro que isso não me deixa feliz", completou.

O ex-jogador e ídolo dos Reds Ray Houghton atuou como comentarista da partida no TalkSport e não se conteve. "Meu Deus. Olho para a área técnica e o Klopp está rindo. Isso é incrível. Eu estou olhando para o monitor e está muito apertado. Não consigo dizer que há impedimento. Pensei que estava legal". 

Horas depois do 2 a 2 entre Everton e Liverpool, o VAR mais uma vez causou polêmica. Desta vez foi a vez de o Arsenal reclamar que um suposto pênalti de Kyle Walker sobre Gabriel Magalhães foi ignorado tanto pelo juiz de campo como pelo de vídeo no fim do primeiro tempo da derrota por 1 a 0 para o Manchester City no Etihad Stadium.

Mais artigos abaixo

"Isso tem que ser checado. Eles me disseram que verificaram e eu falei: 'como diabos você verificou o lance em dois segundos?' Obviamente há algo aí", criticou o técnico dos Gunners, Mikel Arteta. 

Influência do VAR à parte, quem se deu bem com os resultados do sábado foi o Everton, líder do Inglês com 13 pontos. O Liverpool aparece logo atrás com 10, enquanto o Arsenal tem nove e o City sete (com um jogo a menos).

Fechar