Van Dijk e Rapinoe, os melhores jogadores do mundo no Goal 50 de 2019

Última atualização
Getty/Goal

Virgil van Dijk e Megan Rapinoe foram coroados como os vencedores do prêmio Goal 50 de 2019.

Van Dijk, o melhor entre os homens

O zagueiro holandês Van Dijk enfrentou e venceu uma forte competição do capitão do Barcelona, Lionel Messi e do colega de equipe, Mohamed Salah para se tornar o primeiro defensor a conquistar o prêmio anual.

Esse foi um ano marcante para Van Dijk, que teve um papel fundamental para a sensacional conquista da Champions League pelo Liverpool. O zagueiro da Holanda foi o homem do jogo da vitória por 2 a 0 sobre o Tottenham na final em Madri.

Goal 50

O atleta de 28 anos também ajudou seu país a alcançar a final da Nations League, o que foi importante para bater Messi no lugar mais alto do pódio.

O quatro vezes vencedor do Goal 50 sofreu mais uma decepção com a Argentina, que foi eliminada pelo Brasil em uma polêmica semifinal da Copa América.

Entretanto, Messi foi, mais uma vez, sensacional pelo Barcelona na última temporada. Ele marcou 51 gols em 50 partidas em 2018/19 e terminou em segundo lugar na lista masculina.

O alto desempenho e grande número de gols marcados pelo atacante de 32 anos não foram suficientes para levar a Champions League de volta à Catalunha, já que o Barça foi derrotado pelo Liverpool na semifinal.

Salah, o terceiro no Goal 50 de 2019, não jogou na histórica partida de volta contra o Barça em Anfield por conta de uma lesão, mas voltou às redes no gol de abertura do jogo em Madri.

Esse foi o 27º gol da campanha que também viu ele dividir a Chuteira de Ouro da Premier League com seu companheiro de Liverpool, Sadio Mané e o atacante do Arsenal, Pierre-Emerick Aubameyang.

Virgil van Dijk Goal 50 Virgil van Dijk

Assim como Salah, Mané fez 22 gols na primeira divisão inglesa e foi importante para o vice-campeonato de Senegal na Copa Africana de Nações, o que rendeu a ele a posição mais alta de sua carreira no Goal 50, alcançando o quinto lugar.

Cristiano Ronaldo terminou em quarto, bem à frente de Mané. Ele teve uma boa temporada de estreia pela Juventus, o que o fez receber o prêmio de Jogador do Ano na Serie A italiana.

O veterano atacante também foi importante para a conquista da primeira edição da Nations League, com os Quinas vencendo a Holanda de Van Dijk na final.

Rapinoe, a melhor entre as mulheres

O período do verão do hemisfério norte teve uma dona: Megan Rapinoe. Ela esteve na linha de frente da estrelada seleção dos Estados Unidos, que varreu todos os adversários na Copa do Mundo Feminina.

A atacante de 34 anos conquistou a Bola de Ouro e a Chuteira de Ouro na França, e isso a tornou a escolha óbvia para o primeiro lugar nos rankings do Goal 50.

Entretanto, a lateral-direita Lucy Bronze também teve um 2019 sensacional. Ela ajudou a conquistar o triplete com o Lyon e recebeu a Bola de Prata da Copa do Mundo, pelo quarto lugar alcançado pelas Leoas da Inglaterra.

Lucy Bronze Goal 50 square Lucy Bronze

Sam Kerr, que ganhou o prêmio Goal 50 em 2018, terminou em terceiro lugar na atual edição depois de um ano proveitoso em que terminou como artilheira da NWSL (campeonato nacional dos Estados Unidos) e na W-League (campeonato nacional da Austrália). Além disso, ela marcou quatro gols na vitória da Austrália sobre a Jamaica, na Copa do Mundo feminina.

O quarto lugar ficou por conta de Ada Hegerberg, que também esteve presente no triplete do Lyon e marcou 29 gols em 32 jogos de todas as competições. A vencedora do Goal 50 de 2017, Pernille Harder ficou em quinto lugar após conquistar o doblete alemão com o Wolfsburg e terminar como artilheira da Champions League.

Rapinoe, entretanto, foi a grande candidata para o prêmio feminino e, assim como Van Dijk, pode celebrar um 2019 fenomenal, que, com certeza, aparece como o melhor ano da carreira.

Veja a lista completa do prêmio Goal 50 aqui!

Mais artigos abaixo

O Goal 50 é um prêmio anual que junta os 50 melhores jogadores do mundo entre homens e mulheres.

Os atletas são divididos em dois grupos de 25 jogadores, e selecionados de acordo com seus feitos durante o ano.

Editores-chefe e correspondentes das 42 edições da Goal ao redor do mundo escolheram seus votos baseados na consistência, performances em grandes jogos, legado de futebol e sucesso no clube e na seleção.