Por que Ronaldo, Ramos e o Real Madrid não gostam de Dani Alves?

Comentários()
Getty
Enquanto se preparam para o reencontro desta terça-feira, veja os motivos pelos quais não há amor entre a dupla do Real Madrid e o defensor do PSG

Dani Alves diz o que pensa. E é essa atitude espontânea que fez o lateral-direito do Paris Saint-Germain ganhar muitos admiradores na última década. Entretanto, ele também ganhou alguns inimigos pelo caminho – muitos deles no Real Madrid.

Se as coisas fossem diferentes, Alves poderia ter até acabado no time de Santiago Bernabeu. “Seria uma grande recompensa”, ele disse após vencer a Copa del Rey pelo Sevilla no estádio de Madrid em 2007. E quando foi perguntado sobre o vestiário em que se vestiu, ele disse: “é o melhor do mundo”.

Contudo, o Real preferiu passar a chance, e, no verão seguinte, Alves foi para o Barcelona. Este era o início de uma rivalidade que ainda existe, mesmo que o brasileiro não jogue mais na Espanha.

Em sua primeira temporada no Camp Nou, Alves fez parte do grande time que venceu o triplete. Quando chegou o momento de deixar os catalães, em 2016, ele já havia se tornado o jogador que mais vezes venceu os Blancos (entre Sevilla e Barça) na história.

Foi durante a era José Mourinho no Bernabéu que Daniel ganhou a antipatia por parte dos grandes rivais do Barça. Os embates de El Clásico durante aqueles três anos foram particularmente explosivos: quando o português saiu, o lateral disparou contra aquele Real Madrid, chamado por ele de "sujo" e "mau perdedor."

Dani Alves Real Madrid PSG Champions League 14022018
(Foto: Getty Images)

Mas há um incidente que se detaca sobre os demais. Foi quando Dani sofreu falta de Pepe na semifinal da Champions League de 2011, no Bernabéu, e rolou no campo em agonia antes de deixar o campo na maca. O defensor blanco foi expulso, o Real ficou com dez em campo e Lionel Messi marcou duas vezes para decidir a parada.

Veio então o infame desabafo de Mourinho após a partida. O técnico português falava em "vergonha" e "escândalo" enquanto elencava uma lista de teorias conspiratórias sobre a relação do Barça com a Unicef, a UEFA  e mais. "Não falei nada ao árbitro", disse. "Apenas ri e aplaudi com dois dedos. Se eu tivesse dito o que realmente estava pensando, minha carreira teria terminado hoje mesmo."

Olhando em retrospectiva, a chegada de Pepe foi temerária, e Dani pouco poderia ter feito a respeito. Ele exagerou no choque? Talvez. Mas muitos jogadores do Real - incluindo Pepe - teriam feito exatamente o mesmo.

Dani Alves stretchered off after Pepe foul

De qualquer forma, o incidente criou uma animosidade e foi o estopim para uma guerra de palavras entre Alves e Mourinho. O brasileiro comentou, mais tarde, que o português era "um grande técnico", mas acrescentou: "todos falam como se ele tivesse inventado o futebol, e não é o caso."

O português, é claro, respondeu. "O que Dani Alves disse? Einstein não teria dito melhor", desdenhou. "Ele está certo: não inventei o futebol. Mas gostaria de lembrá-lo que foram os portugueses que descobriram seu país."

Com Ronaldo, a inimizade cresceu em grande parte pela disputa da Bola de Ouro e a preferência do brasileiro por Messi, seu companheiro de equipe, quando perguntado sobre o prêmio individual.

"Essa coisa da Bola de Ouro é um pouco cansativa, parece que já se tornou uma outra discussão", disse o defensor em 2014 à Goal. "Acho que saiu um pouco do campo de jogo para o campo das opiniões. Mas, olhando para o campo de jogo, acho que Leo, enquanto estiver jogando, irá empurrar o resto para o segundo lugar.

"Saindo dessa abordagem, talvez ele tenha menos chances. O vencedor será sempre aquele que tiver a melhor temporada, ou a melhor campanha publicitária. Estamos falando da Bola de Ouro como se tratasse de política. Aquele que tiver o melhor ano vence, não aquele que jogar o melhor futebol."

Em 2015, quando o Barça venceu o triplete e Luis Suárez ficou de fora dos finalistas para o prêmio, ele disse: "Cristiano Ronaldo não merece estar entre os finalistas da Bola de Ouro. Não se trata apenas de marcar gols."

Sergio Ramos & Dani Alves

Mas Dani logo tratou de rechaçar uma rixa com o astro português do Real. "Todas as minhas lutas com Cristiano são em função da imprensa", ele disse. "Se as pessoas soubessem o quanto eu respeito Cristiano Ronaldo... melhor repetir para ficar bem claro: eu respeito Cristiano Ronaldo."

Já com Sergio Ramos, a animosidade parece não ter hora para cessar. Ao ser perguntado sobre o fato do capitão do Real ter sido vaiado em Sevilla pela torcida de seu ex-clube, o brasuca afirmou: "O problema é que, dias antes de ir para Madrid, Ramos estava jurando amor eterno ao Sevilla."

E acrescentou: "Ele não fez história lá, certamente não o bastante para não celebrar gols e pedir respeito das arquibancadas. Ele ficou lá por seis anos e venceu muitos títulos."

Ramos não deixou barato na réplica. "Esses comentários vem de Dani Alves, que em um ano ama o Brasil, no outro diz amar a Espanha, depois a Itália", lembrou, citando as escolhas de carreira do jogador.

Fora de campo, Alves é um brincalhão, sempre muito popular entre os companheiros de equipe - e, por que não, até de alguns rivais: ninguém menos que Florentino Pérez, o icônico presidente do Real Madrid, admitiu recentemente os encontros que tem com Dani sempre rendem boas gargalhadas. Para os jogadores do clube merengue, porém, o brasileiro é uma preferência que eles talvez jamais consigam 'engolir'.

Agora, a rixa ganha novos contornos com os últimos acontecimentos. Resta saber se os madrilenhos irão saborear mais uma vitória sobre Dani Alves, ou se caberá ao brasileiro rir por último na série entre PSG e Real na Champions League.

Divertido, com certeza, será.

Fechar