O pesadelo do ex-Liverpool Daniel Sturridge na Austrália

Daniel Sturridge Liverpool

A final da Liga dos Campeões de 2021 entre Chelsea e Manchester City foi uma partida especial para Daniel Sturridge. O atacante passou pelas categorias de base do City, antes de realmente se destacar no Chelsea.

Com apenas 31 anos na época da final, Sturridge poderia facilmente estar representando qualquer um dos lados e disputando o tão cobiçado troféu. Em vez disso, as pessoas se perguntavam se o bicampeão da Orelhuda voltaria ao futebol profissional. Certamente era uma pergunta justa.

Naquela altura, fazia mais de um ano desde que Sturridge tinha jogado sua última partida de futebol profissional e parecia estar vivendo sua melhor vida nos Estados Unidos, indo à academia e saindo com atores vencedores do Oscar. Porém, o ex-jogador da seleção da Inglaterra estava convencido que voltaria a jogar. E assim o fez, porém o retorno não foi bem sucedido.

Sturridge estava entusiasmado para voltar a jogar e suas redes sociais mostravam isso, já que postava vídeos treinando em busca de uma oportunidade para a temporada de 2021/22. Falou-se de uma mudança para a Espanha, com o Real Mallorca, mas seu destino foi outro.

Em outubro de 2021, finalmente Sturridge assinou permanentemente com um novo clube: o Perth Glory, da Austrália, para a disputa da A-League. "É uma oportunidade fantástica para tentar um novo desafio", disse o jogador ao site oficial do clube.

“Quando surgiu a oportunidade, parecia a coisa certa a fazer, levar meu talento para algum lugar onde eu pudesse desfrutar do meu futebol em uma liga competitiva e tentar ajudar o time a ter o maior sucesso possível”.

O acordo foi visto como uma grande contratação para o futebol da Austrália. Tony Sage, presidente do Perth, confirmou a grande expectativa: "Daniel é, sem dúvida, uma das maiores contratações não apenas na história do Glory, mas na história da A-League”.

"Sua chegada indica em termos inequívocos como estamos determinados a trazer sucesso sustentado ao clube e até onde vamos para alcançar esse objetivo".

Seis jogos, nenhum gol, 138 minutos totais em campo e uma grave lesão na virilha não era o que Sage tinha em mente – mas foi isso que a ambiciosa equipe da A-League conseguiu com a contratação de Sturridge.

O atacante não jogou por mais de 45 minutos em uma única partida, e sua única assistência chegou apenas no penúltimo jogo da temporada, contra o Western Sydney. Sendo assim, a glória foi

Glory chegou ao fundo do poço na temporada da liga com 12 equipes pela primeira vez, com apenas quatro vitórias e 18 pontos ganhos em 26 partidas disputadas.

Sem surpresa, a visão do clube sobre a contratação de Sturridge mudou acentuadamente antes mesmo de a temporada terminar. “Tem sido decepcionante. Tínhamos grandes esperanças quando contratamos Daniel. Mas não funcionou”, disse o presidente-executivo Tony Pignata em abril.

“Do ponto de vista do marketing, no primeiro jogo, tivemos 18 mil torcedores no estádio por conta dele e do hype. Então, infelizmente, ele se machucou... “

"Ano que vem? Olha, duvido que lhe ofereçamos outro contrato."

Sturridge dificilmente é o único responsável pela temporada de pesadelos de Glory – restrições do Covid-19, lesões, preocupações financeiras e turbulências gerenciais combinaram para criar uma tempestade perfeita de fracassos, incluindo uma sequência de 16 jogos sem vitórias em dois meses, período em que Sturridge perdeu em sua totalidade devido a seu problema na virilha.

No entanto, ele foi um símbolo das lutas e da má gestão que atormentavam Perth. Com muita frequência, muito dinheiro e alarde foram colocados em um grande nome sem um suporte ou planejamento coerente.

Daniel Sturridge Perth Glory GFXGetty/GOAL

O Covid prejudicou a temporada de Sturridge: ele teve que se isolar na chegada após testar positivo para o vírus e foi forçado a ficar em quarentena mais duas vezes em seus primeiros três meses na Austrália.

Isso provou ser um grande revés para um jogador que estava tentando um retorno após um ano longe dos gramados - vale lembrar que ele sempre enfrentou problemas para se manter em forma durante toda a sua carreira.

O resultado foi que os fãs de Glory ficaram inquietos em meio a especulações de que Sturridge não estava totalmente comprometido com o time.

No final de novembro, por exemplo, Pignata teve que divulgar uma declaração negando que Sturridge estava optando por não jogar. Isso depois que Sage alegou que o atacante havia se retirado de um jogo contra o Western United por conta dos efeitos de um voo de quatro horas para Melbourne.

Enquanto isso, o técnico do Perth, Richard Garcia, sugeriu que o problema na virilha de Sturridge, durante a derrota por 1 a 0 para Macarthur, foi causado por uma má preparação por parte do jogador.

“Eu continuo tentando trazê-lo de volta e ele continua se machucando”, disse Garcia . “Tivemos ele no intervalo, e então ele fez isso tão rápido que talvez não tenha tido tempo suficiente para se aquecer.”



Ativo nas mídias sociais, Sturridge frequentemente twittou sua empolgação por jogar e estar na Austrália em seus primeiros meses, mas não mencionou o Perth Glory desde 20 de fevereiro. O jogador concentrou sua atenção na batalha do Liverpool pelo título da Premier League.



A desventura australiana de Sturridge, como não poderia ser diferente, chegou ao fim após uma temporada. Então a questão é mais uma vez se o bicampeão da Liga dos Campeões voltará ao futebol de elite? Desta vez, a resposta pode muito bem ser diferente.