Lateral ou meia, Dani Alves sofre em meio à irregularidade do São Paulo

Comentários()
Getty Images
O jogador que chegou para mudar o patamar do time ainda não conseguiu render o seu melhor neste Brasileirão

Daniel Alves chegou ao São Paulo sob a expectativa de mudar o patamar do time no Brasileirão. Afinal de contas, mesmo aos 36 anos, o jogador mais vezes campeão na história do futebol vinha de grandes exibições na Copa América – onde foi eleito craque do torneio conquistado pela seleção. Na teoria, tinha tudo para elevar o nível do Tricolor, mas vem sofrendo com a irregularidade geral da equipe comandada por Cuca. O caso onde a individualidade acaba sofrendo em meio ao desempenho ruim do grupo.

O empate por 1 a 1 contra o CSA, neste domingo (15), simbolizou bem todas as dificuldades enfrentadas pelo Tricolor nesta campanha. O time teve recorde de finalizações (33), mas só conseguiu fazer o gol no final do jogo, aos trancos e barrancos, e tarde demais para a virada sobre os alagoanos, que saíram na frente em pleno Morumbi. Quem acabou estufando as redes não foi Hernanes ou os atacantes Pablo, que retornou após lesão, e Pato, que entrou no decorrer do segundo tempo. Tampouco Daniel, escalado pela primeira vez em cinco partidas na lateral-direita. Reinaldo, o lateral-esquerdo, foi um dos melhores em campo e teve sua entrega premiada ao completar para o fundo das redes o bate-rebate que aconteceu na área após cobrança de falta feita por Dani Alves.

Acompanhe o melhor do futebol ao vivo ou quando quiser: assine o DAZN e ganhe um mês grátis para experimentar

Dono da camisa 10, Daniel vinha exercendo função como meia na equipe de Cuca. Estreou com gol em uma vitória controversa sobre o Ceará (que reclamou com razão um pênalti não assinalado) e, desde então, vem sendo um dos melhores e mais ativos do time, seja nas transições para o ataque, ou na participação com passes. Dentre os jogadores são-paulinos que disputaram um mínimo de cinco rodadas, por exemplo, o baiano é o único que conseguiu dar mais passes-chave com a bola rolando (7, segundo a Opta Sports) do que o número de vezes em que entrou em campo.

Mais artigos abaixo

Campanha irregular para um postulante ao título

Mas o time, que passou a sonhar em ser campeão especialmente após as chegadas do novo camisa 10, e do espanhol Juanfran, possui a campanha mais irregular dentre os postulantes ao título. Ainda que tenha aproveitamento inferior apenas a Flamengo (83,3%) e Corinthians (60,6%, seis décimos a mais em relação ao Tricolor) nos jogos de Brasileirão realizados após a Copa América – ou seja, a partir do momento em que Dani Alves já estava disponível – o São Paulo sofreu com sua própria irregularidade. Finalizou o primeiro turno com um jejum de quatro jogos sem vitórias, inferior apenas aos cinco de Ceará e Atlético-MG. Talvez por isso, o discurso de Cuca após o empate contra o CSA tenha tido tamanho ceticismo em relação às aspirações de título.

“Se a gente pensa em disputar título ainda, que cada vez está ficando mais difícil, temos que voltar a vencer. Vamos pensar em vencer, jogo a jogo. Nos preparar melhor ainda, treinar mais para poder jogar melhor e vencer”, afirmou o técnico. Do outro lado, Dani Alves demonstrou mais brio e esperança em seu discurso: “Entrega o título para o Flamengo não, tem muita coisa para acontecer ainda. A gente que é do futebol sabe que ainda vão suceder muitas coisas. Estamos trabalhando para melhorar”.

Lateral-direita ou meia?

GFX Dani Alves CSADani Alves criou, com a bola rolando (em amarelo) o mesmo nº de chances contra o CSA como lateral ou meia (Foto: Opta Sports)

O grande debate deste domingo, após o resultado decepcionante no Morumbi, foi sobre o lugar ideal para ter Daniel. Tanto na lateral-direita quanto jogando como meia, o camisa 10 criou o mesmo número de chances com a bola rolando (2), e teve ações parecidas em média. Ainda que estudos digam que a lateral-direita é a posição do futebol mais fácil de se improvisar, um craque pode fazer a diferença em qualquer lugar onde esteja à vontade. Desde que o time esteja bem encaixado. Raramente alguém conseguirá conquistar um torneio de longo prazo sozinho. O São Paulo ainda precisa se ajustar como equipe para que o seu melhor jogador, independentemente da posição, consiga render o seu melhor.

Fechar