Notícias Placares ao vivo
Dyego Sousa

Dyego Souza, o mais novo brasileiro na seleção de Portugal

10:40 BRT 15/03/2019
Dyego Souza - Braga
Natural de São Luís, no Maranhão, atacante que hoje brilha no Braga passou pela base do Palmeiras e até jogou na Angola

Deco, Pepe, Liedson... e agora Dyego Souza. A seleção de Portugal conta oficialmente a partir desta sexta-feira com mais um brasileiro no quadro de convocados. Ao lado de craques como Bernardo Silva e Cristiano Ronaldo, o atacante que atualmente defende o Braga foi chamado pelo treinador Fernando Santos para os jogos das Eliminatórias da Eurocopa-2020 contra Ucrânia e Sérvia, nos dias 22 e 25 de março, respectivamente.

Mas quem é Dyego Wilverson Ferreira Sousa? Nasceu em São Luís, no Maranhão, jogou futsal pelo Moto Club, teve uma rápida passagem pela base do Palmeiras, tendo disputado uma Taça BH, e ainda defendeu o modesto Operário Ferroviário, do Paraná, antes de iniciar uma longa trajetória no futebol português.

Chegou a Portugal inicialmente para atuar no time júnior do Nacional da Madeira, onde, curiosamente, CR7 deu os primeiros passos na carreira. Antes de fazer sucesso com a camisa do Braga, onde é a principal referência há duas temporadas, rodou bastante pelo país que hoje enxerga como pátria. Representou Leixões, Tondela, Portimonense e Marítimo. Passou rapidamente também pelo Interclube, da Angola.

Aos 29 anos (completa 30 no dia 14 de setembro), Dyego Souza tem nacionalidade portuguesa desde 2016. Nos últimos meses, sempre que podia, deixava claro durante as entrevistas que esperava um dia receber uma oportunidade na seleção portuguesa.

"É um sonho jogar por Portugal. Torço e vibro pela seleção portuguesa. Sinto-me mais português do que brasileiro", destacou, em outubro do ano passado, ao site português MaisFutebol.

Pelo Braga, o atacante maranhense que é agenciado pelo famoso empresário Jorge Mendes, o mesmo de Cristiano Ronaldo e José Mourinho, fez até o momento 60 jogos oficiais e marcou 32 gols. Recentemente, teve o nome ligado ao Benfica, numa transferência então avaliada em 14 milhões de euros (R$ 61 milhões). A negociação, no entanto, acabou por não evoluir. Poucas semanas depois, renovou contrato com os bracarenses até junho de 2022.