Cristiano Ronaldo, exclusivo: “Serie A é a liga mais difícil para fazer gols”

Comentários()
Em conversa com o DAZN, o craque da Juventus falou sobre a nova fase de sua vida

Os três gols marcados por Cristiano Ronaldo na vitória por 3 a 0 sobre o Atlético de Madrid, que levou a Juventus às quartas de final da Champions League após uma derrota por 2 a 0 na ida, tiraram qualquer tipo de dúvida: o português está completamente adaptado ao seu novo clube.

Após nove temporadas históricas pelo Real Madrid, CR7 chegou com tudo na Itália: já foram 19 gols e oito assistências na Serie A e uma demonstração de força absoluta no primeiro mata-mata europeu. Em entrevista exclusiva ao DAZN, o gajo revelou a sua opinião a respeito do futebol italiano e está adaptado ao novo país. Confira abaixo!

A temporada da Juventus até aqui

“O desempenho da equipe, na minha opinião, tem sido muito bom, muito positivo. Tanto na liga (Serie A), na liga estamos imbatíveis, não perdemos nenhum jogo. Espetáculo, na minha opinião temos tudo para ser campeões. Ainda falta muito, mas temos uma vantagem boa, e se continuarmos assim não tenho dúvidas que vamos ser campeões”.

“Ganhamos a final da taça da Itália (Supercopa Italiana), na Arábia Saudita. Primeiro título, meu primeiro título”.

Cristiano Ronaldo Juventus(Foto: Getty Images)

“A nível individual sinto-me bem, adaptado à liga italiana, uma liga difícil. Na minha opinião, a liga mais difícil que eu joguei a nível para os avançados (atacantes), para mim é a liga mais difícil. É uma liga com muita qualidade, não esperava que a liga italiana tivesse tanta qualidade. A liga italiana tem muita qualidade. E tem sido uma adaptação boa. Estou feliz, minha família está feliz, os meus filhos... por isso, tudo positivo”.

Maior diferença entre La Liga e a Serie A italiana

“As coisas têm corrido bem, mas na minha opinião a liga italiana é muito mais difícil de fazer gol do que a liga espanhola. Porque a liga espanhola é muito mais aberta, as equipes arriscam mais. Aqui, não tanto. Aqui a prioridade é defender bem, depois atacar. Na Espanha não é assim, é jogo aberto sempre, com quase todas as equipes. Na liga inglesa também. Joguei na liga inglesa por cinco anos, e acho que a liga mais difícil para fazer gols é a liga italiana”.

Adaptação à vida na Itália

“Estou bem adaptado. A minha família gosta de estar na Itália, eu gosto de estar na Itália. É uma realidade diferente, um país diferente, uma língua diferente, uma cultura diferente. Mas consegui me adaptar bem. Eu sempre vivi fora de casa, desde os meus 11 anos, por isso eu não tenho esse problema de adaptação ao próprio país. Fui para a Inglaterra com 18 anos, fui para Madri com meus 25 anos, vim para Turim com meus 33 anos... por isso não é dificuldade para mim adaptar-me a um país diferente, a uma cultura diferente. Estou acostumado”.

Sente falta da Espanha?

“Eu não sinto falta nem de Espanha ou Portugal. As coisas são como são. Obviamente eu deixei muitos amigos, deixei um grande clube, deixei um clube que tenho carinho, pessoas, amigos, mas falta em si, do próprio país, não. Tudo que eu tinha lá eu tenho aqui. Por isso, não vejo que tenha sido uma dificuldade para mim. Tudo tem sido muito intenso, interessante, tudo diferente, mas a minha adaptação tem sido boa. Estou feliz”.

Fechar