Cristiano Ronaldo, exclusivo: nada de ser técnico, Euro como melhor troféu e mais

Última atualização
DAZN

Principal jogador da Juventus e Portugal, Cristiano Ronaldo concedeu em entrevista ao programa “Linea Diletta", do DAZN. O astro português aproveitou a ocasião para comentar sobre o tempo no qual atua pelo time italiano, detalhes da conquista da Euro 2016 e revelou quais são os planos para curto, médio e longo prazo.

Acompanhe o melhor do futebol ao vivo ou quando quiser: assine o DAZN e ganhe um mês grátis para experimentar

"Em comparação com os 18 anos, tudo realmente mudou. Naquela época, quando comecei a jogar futebol, via de forma diferente: era uma paixão mágica mais ingênua, mais espontânea. Hoje tenho a mesma grande motivação em jogar. Estou feliz em jogar futebol, mas agora as prioridades são diferentes: você tem que vencer, ganhar troféus e sempre estar no topo. Naquela época eu não tinha essas pressões, estava pensando em me divertir!”, disse.

Os torcedores do time italiano esperam que Cristiano continue por muito tempo com a camisa da equipe. Em Turim o português encontrou um ambiente onde imediatamente se adaptou: "Minha primeira lembrança de Turim? Lembro bem da apresentação no estádio, foi emocionante: havia torcedores, minha família, meus amigos. Gosto de tudo na Juve, é o melhor clube italiano, estou feliz por estar aqui. Gosto muito da cultura, não apenas a da Juventus , mas a da italiana em geral”.

No entanto, o grande sonho dos torcedores italianos é ver CR7 vencer a Liga dos Campeões com a Juventus. Cristiano, vale lembrar, ganhou a competição por cinco vezes ao longo da carreira: "A Champions é a melhor competição de clubes do mundo. É o torneio em que mais gosto de jogar, é especial. É completamente diferente da Serie A.

Ainda assim, a Liga dos Campeões vencida por CR7 durante o tempo no qual atuou por Manchester United e Real Madrid, não é o troféu mais significativo na estante do jogador: “O título de campeão europeu com Portugal é o prêmio mais importante que já ganhei. Foi uma noite incrível e inesquecível: chorei, ri, sofri, gritei, fiquei bêbado. Eu chorei tanto que fiquei desidratado. No final do jogo, durante as comemorações, bebi uma taça de champanhe e imediatamente lembrei que eu nunca bebo. Mas esse dia foi tão especial. Foi o troféu mais importante de todos os tempos".

Cristiano Ronaldo Diletta Leotta
(Foto: DAZN)

Além dos diversos assuntos citado acima, o atacante fez questão de assegurar que não tem interesse em tornar-se treinador após a aposentadoria dos gramados: “Não estou interessado em me tornar treinador. Mas talvez algum dia eu esteja entediado e com vontade de nunca dizer nunca”, brincou.

A entrevista completa estará disponível na plataforma do DAZN a partir de 26 de dezembro.